Dessalinização: Marquise vence; GS Inima pode ir à Justiça

marquise
O certame sobre a construção e operação da usina estava sendo alvo de questionamentos por parte dos concorrentes. O impasse foi resolvido na tarde de quarta-feira (31/03), não cabendo mais recursos administrativos

Batido o martelo. O Consórcio Águas de Fortaleza, liderado pela Marquise Infraestrutura,  foi proclamado mais uma vez responsável pelo projeto de construção e operação da usina de dessalinização de Fortaleza.

O certame estava sendo alvo de questionamentos por parte dos concorrentes. O impasse foi resolvido na tarde de quarta-feira (31/03), não cabendo mais recursos administrativos.

A usina de dessalinização irá diversificar a matriz hídrica da Capital, levando água a quem precisa, como será um marco para o Brasil.

"O assunto vinha sendo comentado na imprensa por conta de recursos sem fundamentos apresentados pelos concorrentes, que não prosperaram e o Consórcio liderado pela Marquise foi declarado vencedor. Estamos muito felizes com a notícia e prontos para iniciar esse grande projeto", disse Renan Carvalho, diretor da Marquise Infraestrutura.

Questionamento

Diante da decisão, a A GS Inima Brasil examina a possibilidade de entrar na Justiça contra a decisão da Comissão Central de Concorrências do Estado que negou provimento ao recurso interposto por ela na licitação da Usina de Dessalinização da Cagece - Companhia de Água e Esgoto do Ceará, onde aponta o desrespeito ao edital de licitação.  

No recurso, a GS Inima Brasil questiona a falta da apresentação de documentos válidos de habilitação para comprovar a capacidade técnico-operacional da empresa Abengoa S/A, integrante do Consórcio Águas de Fortaleza, para implantar e operar a Estação de Dessalinização de Fortaleza.  A GS Inima Brasil também aponta a falta de comprovação da capacidade dos profissionais indicados pelo Consórcio Águas de Fortaleza como responsáveis técnicos pela futura Estação Dessalinizadora e do vínculo deles com a Abengoa.