Energia limpa: TIM ativa primeiro antena eólica do País

antena
A antena reforça a estratégia da companhia de buscar soluções inovadoras para ampliar o número de antenas e a conectividade em todo o Brasil e servirá em breve para a tecnologia 5G

Um dos balneários mais famosos do Nordeste, Pipa, foi o destino escolhido pela TIM para receber a primeira antena (biosite) movida a energia eólica.

A praia, localizada em Tibau do Sul, no Rio Grande do Norte, é procurada por turistas do mundo inteiro pela combinação das ondas, dos bons ventos e da beleza natural. A operadora, alinhada aos pilares ESG, investiu na implantação do site movido a energia renovável para ampliar e reforçar a cobertura da rede 4G na localidade, situada a 77km da capital Natal e servirá em breve para testes também da tecnologia 5G.

No Ceará

A TIM possui 109 biosites ativos no Ceará, sendo 88 localizados em Fortaleza, 9 em Caucaia, 4 em Juazeiro do Norte, 2 em Eusébio, 2 em Maracanaú, 2 em Itatinga, 1 em São Gonçalo do Amarante e 1 no Crato. Entretanto, os equipamentos cearense são todos convencionais.

Em Pipa
 
A antena, em Pipa, está recebendo grafites do artista local, Rafa Santos, com cores vibrantes, que são marca registrada do trabalho dele no balneário. A proposta da solução, que é similar a um poste de iluminação pública com equipamentos de telecomunicações no seu interior, é ser incorporada à paisagem e ao mobiliário urbano, melhorando ainda mais a experiência dos clientes.

Hoje há mais de 1.700 biosites no modelo tradicional em todo o País cidades e o novo equipamento eólico, instalado no Centro de Pipa, poderá reforçar a cobertura 4G até em ambientes fechados ao redor. A instalação da torre foi executada em parceria com AlfaSite.

Soluções sustentáveis

Para Mario Girasole, vice-presidente de Relações Institucionais e Regulatórias da TIM Brasil, a instalação do biosite eólico em Pipa mostra que é possível priorizar soluções ambientalmente e energeticamente sustentáveis, contribuindo para ampliação da conectividade e alinhadas ao compromisso da TIM de ter as melhores práticas ambientais, sociais e de governança. “A jornada ESG da TIM já é uma realidade de mais de uma década, sendo tema prioritário desde o início das operações da empresa no Brasil. Muito desse avanço, sem dúvida, é fruto da estrutura organizacional da companhia, que estimula a inovação. O biosite é um desses recursos inovadores, bastante usado, inclusive, por prefeituras em todo o país, que agregam à ampliação da capacidade de rede, soluções como câmeras de segurança e iluminação pública”, afirma.

Do ponto de vista técnico, a antena da TIM é diferente das torres eólicas tradicionais, porque as pás são posicionadas na vertical, no topo do poste metálico. Isso garante que o movimento seja mais silencioso e eficiente, além causar menor impacto visual.

Leonardo Capdeville, CTIO da TIM Brasil, reforça os desafios e a importância estratégica da região Nordeste para a companhia: “nossa meta é atingir 100% dos municípios brasileiros com o 4G até 2023. No Nordeste, estamos fazendo aportes importantes para antecipar esta meta, alcançando já cinco estados com cobertura 4G em 100% dos municípios. O biosite é um dos investimentos da operadora, representando uma solução eficiente e uma das alternativas mais sustentáveis para ampliar o número de antenas, que é fundamental para o adequado funcionamento do 5G, tão logo que a frequência for liberada pela Anatel. Até lá o equipamento poderá ser utilizado para testes da nova tecnologia”.