Conselho da TIM aprova participação da companhia no leilão do 5G

tim
A Anatel informou que o certame do 5G deve movimentar pelo menos R$ 49,7 bilhões

Líder em cobertura 4G no Brasil desde 2015, a TIM é a primeira operadora a ter a aprovação formal do seu Conselho de Administração para participar no leilão do 5G. Os integrantes do conselho da operadora deliberaram, por unanimidade, a proposta da diretoria de concorrer na licitação, em conformidade com seu edital aprovado e a ser publicado pela Anatel.

Arrecadação

A Anatel informou que o certame do 5G deve movimentar pelo menos R$ 49,7 bilhões. Segundo a agência, o leilão não será totalmente arrecadatório, ou seja, o governo federal não vai ficar com o valor total do negócio.
 
O leilão do 5G vai ofertar quatro faixas de frequência: 700MHz; 2,3GHz; 3,5GHz; e 26GHz. Essas frequências são como "estradas" para a transmissão de dados na nova tecnologia.

Interesse

A companhia irá agora definir as  faixas de interesse, lotes e o valor das ofertas que serão feitas no leilão. “O 5G provocará uma revolução em diversos setores e representa uma enorme oportunidade para o desenvolvimento do Brasil. Também será um catalizador para o surgimento de novas soluções em tecnologia, trazendo uma série de benefícios para a indústria, sendo o mais relevante a habilitação do IoT de forma massiva, de altíssima velocidade e soluções de baixa latência", afirma Pietro Labriola, CEO da TIM Brasil.
 
A TIM foi pioneira na ativação de redes de quinta geração no país, com a criação dos Living Labs em 2019, e com pilotos de rede 5G Standalone em Brasília e Rondonópolis (MT), em maio deste ano, seguidos de testes — em formato Prova de Conceito (POC) — da tecnologia em São Paulo e no Rio de Janeiro.