Smart City Laguna já conta com 200 famílias residindo

img1
A cidade inteligente possui uma área total de 330 hectares, sendo composta por cerca de 7 mil lotes, entre residenciais, comerciais e empresariais

Com cerca de 200 famílias já morando, a Smart City Laguna - primeira cidade inteligente construída do zero em terras brasileiras - fica no distrito de Croatá, em São Gonçalo do Amarante, na CE-341, KM 30, no coração da região do Vale do Curú e próxima de praias turísticas, como Cumbuco, Paracuru, Taíba, Lagoinha, Flecheiras, e no caminho para Jericoacoara.

A cidade inteligente possui uma área total de 330 hectares, sendo composta por cerca de 7 mil lotes, entre residenciais, comerciais e empresariais. Em processo de finalização, o lugar será capaz de receber cerca de 25 mil moradores.

Qualidade de vida

A CEO da Planet Smart City no Brasil, Susanna Marchionni, explica que o projeto une soluções inteligentes e inovadoras para elevar a qualidade de vida dos moradores. 

“Além de inteligente, a Smart City Laguna é social também, porque ela visa o bem-estar das pessoas e o desenvolvimento em um ambiente inclusivo, harmonioso e colaborativo. Graças à tecnologia desenvolvida pela Planet, o projeto consegue ser ofertado ao mercado imobiliário a preços acessíveis. Isso significa que temos moradores de diferentes rendas morando na cidade”, diz.

Transporte público

Para facilitar o acesso à cidade inteligente, existe uma rota de transporte público que liga a Smart City Laguna à Sede do município de São Gonçalo, passando por Croatá, por meio da BR-222. De segunda a sexta-feira são oito rotas e aos sábados duas rotas, com ponto de embarque e desembarque ao lado do Hub de Inovação.

Diferenciais

O projeto dispõe de soluções inteligentes em quatro pilares: pessoas, planejamento urbano e arquitetura, tecnologia e meio ambiente para fazer da cidade um local que oferece qualidade de vida superior aos seus moradores. A Smart City Laguna abriga um Hub de Inovação em pleno funcionamento, que fica no coração social da cidade, e onde funcionam a biblioteca e a sala de cinema, equipamentos gratuitos, permanentes e abertos ao público. No Hub também acontecem as atividades do Instituto Planet, como cursos gratuitos de informática, empreendedorismo e artesanato.

Os moradores ainda contam com wi-fi grátis nas áreas institucionais, rede subterrânea inteligente de eletricidade, iluminação pública de LED, videomonitoramento em tempo real das áreas comuns, academia ao ar livre, coleta inteligente de lixo, hortas urbanas, ciclovias, totens interativos, ilha de recarga de veículos elétricos, biblioteca de objetos, cozinha social, área de eventos, entre outras soluções inteligentes.

A Planet segue aplicando em Croatá o conceito da convivência colaborativa, ainda inédito no Brasil. “Ele consiste em estimular o desenvolvimento de uma cultura voltada para a economia doméstica e coletiva. O cidadão dispõe de uma estrutura social, com ferramentas que proporcionam mecanismos de compartilhamentos e interações geradoras de economia e qualidade de vida”, destaca Susanna Marchionni.

Aplicativo do bairro

O Planet App, desenvolvido pela própria Planet Smart City, é o painel de controle de todas as cidades inteligentes construídas pela empresa. Aqui no Brasil, o aplicativo já é utilizado pelos moradores da Smart City Laguna.

Por meio dele é possível monitorar a casa, controlar o consumo de água e energia, consultar a qualidade do ar, acompanhar as notícias da cidade, o andamento da obra em tempo real e ainda ter acesso aos diferentes serviços digitais da cidade. O Planet App pode ser baixado, gratuitamente, nas versões Android e iOS.

O aplicativo promove também a economia compartilhada, barateando a vida na cidade, reduzindo o desperdício, otimizando tempo e recursos como, por exemplo, caronas compartilhadas, oferta ou troca de serviços e vendas de coisas usadas.

Além da Smart City Laguna, outras cidades estão sendo construídas pelo mesmo grupo como a Smart City Aquiraz (CE), Smart City Natal (RN) e os condomínios inteligentes em São Paulo nas regiões de Bela Vista, Itaquera, Jabaquara, Freguesia do Ó e Bela Vista. Os projetos da capital paulista têm o objetivo de formar uma comunidade tecnológica, inclusiva e integrada. E, para que isso funcione da melhor forma, a economia compartilhada é também incentivada entre os moradores, promovendo um estilo de vida integrado e colaborativo.