Remédios ficam mais caros 4,88% e vigência pode ser imediata

remedio
O aumento, previsto para o dia 31 de março de cada ano, foi adiantado em 15 dias

Em meio à crise sanitária e com uma avalanche de reajustes, foi autorizado um aumento de 4,88% no preço dos medicamentos. A resolução foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (15). A aplicação pode ser imediata pela indústria farmacêutica.

O aumento, previsto para o dia 31 de março de cada ano, foi adiantado em 15 dias. Em 2020, o governo negociou com a indústria farmacêutica e atrasou o aumento, então de até 5,21%, por 60 dias. Um ano depois, o país se encontra no auge da crise sanitária.

A Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED), órgão subordinado à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), decidiu pelo aumento em reunião na última sexta-feira (12).