Pecém: refinaria produzirá 100 mil barris/dia; 3 mil empregos

refina
Reunião com investidores: os três mil empregos na usina cearense serão gerados durante a construção do empreendimento. Na operação, o contingente será de 150 empregos diretos

A Refinaria de Petróleo do Pecém (RPP) está na fase de desenvolvimento de projeto e aguarda as licenças ambientais para iniciar a construção. “Estamos aqui à disposição para facilitar a instalação de indústrias e investimentos que gerem emprego e renda aos cearenses”, pontuou a governadora Izolda Cela, ao receber os investidores do projeto.

A RPP produzirá 100 mil barris/dia de combustíveis marítimos. Na fase de construção, deverá gerar 3 mil empregos. Em funcionamento, serão 150 empregos diretos altamente qualificados. A operação deve iniciar em 2027.

Sonho antigo

O secretário Maia Júnior lembrou que abrigar uma refinaria de petróleo é uma intenção antiga do Ceará. “Há décadas os governantes tentam atrair uma refinaria e desta vez acredito que o avanço no processo é a boa governança que o Estado vem demonstrando e a logística bem estruturada, tendo como exemplo o Complexo do Pecém”, ressaltou Maia.

“Estamos muito entusiasmados com tudo que encontramos no Ceará. Um Estado que oferece todas as condições necessárias para os negócios, desde o time de profissionais à infraestrutura adequada do Porto do Pecém e da Zona de Processamento de Exportação”, disse o CEO Márcio Dutra.

“Esperamos obter sucesso com esse primeiro projeto e já estamos avaliando novos investimentos no Estado”, declarou Richard Robert, co-investidor israelense da RPP. De acordo com os investidores, há possibilidades de instalar uma biorefinaria no Pecém e uma usina para converter hidrogênio em amônia.

“São inúmeras possibilidades de negócios já que podemos contar com uma excelente área para nossas instalações na ZPE”, disse Gabriel Debellian, diretor da RPP.