Porto do Pecém ganha novos guindastes e scanner

img1
Os investimentos no Porto do Pecém ampliam a capacidade de operação do equipamento que tem ganho destaque na infraestrutura do complexo portuário. Com isso, o terminal eleva a capacidade de movimentação de contêineres

Foi adquirido um segundo scanner, que passou a reforçar o sistema de inspeção rápida de contêineres. Além disso, serão instalados outros quatro novos equipamentos: um superguindaste STS (ship to shore) para operação de embarque/desembarque de contêineres nos navios; e três e-RTGs, guindastes para operação de contêineres no pátio do terminal de múltiplas utilidades (TMUT), onde estão localizados seis berços de atracação do porto.

Acionamento elétrico

Os e-RTGS (semelhantes ao da imagem) são elétricos e, portanto, não utilizarão diesel como combustível. Ou seja, operação limpa, sem emissão de C02. Serão os primeiros equipamentos desse tipo no terminal cearense. 

Todos os equipamentos serão operados pela APM Terminals Brasil, prestadora de serviço operacional (PSO) do Porto do Pecém. A expectativa é que o novo maquinário entre em operação até o início do segundo semestre deste ano.

Somente em 2021, foram movimentados pelo terminal cearense 410.557 TEU's (244.811 unidades) - crescimento de 8,7% em comparação com o ano de 2020, quando 377.726 TEU's (228.362 unidades) passaram pelo terminal portuário do Pecém.