Recorde: Pecém movimenta pás eólicas gigantes de 83,8 m

pecem
O navio Annie, com bandeira de Antígua e Barbuda, oriundas da Índia, trouxe nove pás eólicas gigantes. 
Ao todo serão 21 pás, que deverão desembarcar para serem instaladas num parque eólico na Bahia 

A indústria da energia eólica avança com pressa e o Ceará tem vantagens competitivas que permitem compartilhar os ganhos do setor, como as empresas que verticalizam a produção de pás eólicas e ainda um terminal portuário que escoa e recebe esses equipamentos.

O Porto do Pecém continua a bater recordes. Recebeu embarcação com as maiores pás eólicas que já chegaram por lá. Cada equipamento mede 83,88 metros.

Destino Bahia

Elas vieram no navio Annie, com bandeira de Antígua e Barbuda, oriundas da Índia, carregado com nove pás eólicas e chegaram no sábado (25/9).

Ao todo serão 21 pás, que deverão desembarcar para serem instaladas num parque eólico na Bahia.

Mais de 1 mil

Encravado em um ponto estratégico, o Porto do Pecém superou a marca de 1.000 pás eólicas movimentadas somente em 2021. Entre embarques e desembarques, já movimentamos neste ano 1.052 equipamentos com tamanhos que variam entre 54 e 80 metros de comprimento. A maior parte das pás movimentadas são destinadas à exportação, principalmente, para portos nos Estados Unidos, Alemanha e Chile.

Importação

No sentido contrário, ou seja, no movimento de importação as pás chegam, principalmente, de portos localizados na China. Aqui, elas desembarcam para serem instaladas em parques eólicos no Nordeste brasileiro, em estados como Piauí, Rio Grande do Norte e Bahia.