Petrobras admite risco de desabastecimento de combustível

petrob
Estatal traz novo componente de risco à elevação dos preços de combustíveis para o Brasil e cobra antecedência para cumprir com o atendimento à demanda Foto: Agência Brasil

Não bastasse as altas frequentes no valor dos combustíveis, mais um componente vem se somar a essa instabilidade, que também pode concorrer para aumentar ainda mais os preços.

Isso, sem falar que os caminhoneiros planejam uma paralisação em protesto para 1º de novembro, diante dos preços praticados atualmente para o diesel.

Preocupação

A Petrobras admite que o Brasil pode sofrer com desabastecimento de diesel e gasolina. Antes, dias atrás, a estatal havia negado este risco.

De acordo com a petrolífera a demanda dos distribuidores por diesel aumentou 20% e a por gasolina, 10%, em relação ao mesmo período de 2019. A empresa considera a demanda atípica e aponta que ficou em novembro acima dos meses anteriores.

A estatal afirma quepara atender à demanda, a empresa precisaria de maior antecedência para se programar.

Cortes nos pedidos

A Associação das Distribuidoras de Combustíveis Brasilcom afirmou que ocorreram “uma série de cortes unilaterais nos pedidos feitos para fornecimento de gasolina e óleo diesel”. A entidade representa mais de 40 distribuidores.

Reajustes

No ano, a Petrobras já elevou o preço do diesel em 50% em suas refinarias. Nas bombas, a alta acumulada é de 30%. Já a gasolina acumula alta de cerca de 51%.