Pescado cearense enviado ao exterior gira US$ 42,2 milhões

peixe
O Ceará ocupa posição de destaque no ranking do setor exportador de pescado, figurando em quinto lugar dentre os estados brasileiros

As exportações de pescado do Ceará cresceram 60% de janeiro a julho quando comparadas com o mesmo período do ano passado e as importações tiveram 18.7% de aumento no mesmo período.

No acumulado dos sete primeiros meses deste ano, as exportações registraram US$ 42,2 milhões e as importações ficaram em US$ 4,7 milhões.

O Ceará é o quinto estado com maior volume de exportação de pescados do País. Os dados são do estudo Setorial em Comex - Pescados, elaborado e divulgado pelo Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec).

Julho em destaque

Julho foi o melhor mês do ano para as exportações de pescados cearenses, registrando US$ 15,8 milhões. As importações do mês ficaram em US$ 498,2 mil. Os principais produtos vendidos foram lagostas, peixes congelados, pargo congelado e preparações e conservas de atuns. Em relação às compras externas, as mais demandadas foram sardinhas e anchovetas congeladas, cavalinhas congeladas, preparações e conservas de atuns, preparações e conservas de bonitos-listrados e filés de peixe congelado.

Participação

As exportações de pescados correspondem a 3% da pauta exportadora cearense. Os Estados Unidos compram 62% do total de pescados vendidos pelo Ceará. Merece destaque o desempenho das vendas para o Equador, que cresceram mais de 283% nos primeiros sete meses de 2021 em relação a 2020. O Ceará compra pescados, principalmente, do Marrocos, Equador, Peru e Chile. Fortaleza foi o principal município exportador do setor, com Camocim em segundo lugar e São Gonçalo do Amarante logo em seguida.