Cade autoriza compra da Extrafarma pela Pague menos com restrições

pm
Na ocasião do negócio, a Superintendência do Cade recomendou a venda de cerca de 3% da rede para eliminar preocupações relativas à concorrência em algumas áreas na região Nordeste

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira (22) por unanimidade a venda da rede de farmácias Extrafarma para a Pague Menos.

A decisão, contudo, impõe restrições. A empresa cearense do ramo de farmácias terá que verdervlojas em oito cidades dos 17 mercados considerados como relevantes pela autarquia.

A Ultrapar anunciou a venda da Extrafarma por R$ 700 milhões, negócio que torna a Pague Menos a segunda maior rede de farmácias do Brasil, atrás apenas da Raia Drogasil. Atualmente a Pague Menos, fundada no início da década de 1980, é a terceira colocada.

"O simples desinvestimento não é suficiente por si só", afirmou o relator do caso, Gustavo Augusto Freitas de Lima, ao ler o seu voto em sessão no Tribunal do Cade. "O desinvestimento somente faz sentido se os pontos forem vendidos para redes regionais, redes nacionais ou associação de farmácias", acrescentou.

Segundo ele, a venda dos ativos está sendo firmada para a rede Bruno Farma e o negócio deverá ser acertado em até 180 dias. Se o prazo for superado, um 'trustee' deverá se encarregar pelo desinvestimento.

Na ocasião do negócio, a Superintendência do Cade recomendou a venda de cerca de 3% da rede para eliminar preocupações relativas à concorrência em algumas áreas na região Nordeste.

Meganegócio

A aquisição aumentou em mais de um terço o número de lojas da Pague Menos, que tem como acionista a gestora de private equity General Atlantic, para cerca de 1.500, e reforçar sua presença nas regiões Norte e Nordeste do Brasil.