Ibef: empresas do 'agro' no CE mostram inovação e pujança

agro
Representantes de grandes empresas atuantes no Ceará apresentaram seu desempenho no agronegócio, fruticultura e cultivo do trigo, a convite do Ibef-CE Foto: Reprodução 

A pujança do agropecuária, que foi o único setor a apresentar desempenho positivo no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2020, registrando expansão de 2%, encontra exemplos concretos no Ceará.

Empresas sólidas, inovadoras e ancoradas em parcerias internacionais no agronegócio são alguns exemplos de atuação local e com lideranças que mostraram cases de sucesso, na primeira reunião de associados do Instituto Brasileiro dos Executivos de Finanças (Ibef-CE), na manhã desta terça-feira (9), em live no Zoom.

Riqueza

Jpyce de Castro, diretora de Finanças da multinacional japonesa Sumitomo Chemical, com um braço em Maracanaú (antiga Nufarm), disse que diante da pandemia "o agro se tornou ainda mais importante para o País. Superamos desafios, como a falta de insumos e de matéria-prima e a volatilidade do dólar. Hoje afirmamos com ainda mais certeza que o agro é a riqueza do Brasil", assinala.

A companhia possui um complexo que gera 721 empregos diretos no Brasil, e 1,1 mil indiretos, sendo 332 diretamente e 700 indiretos no Ceará. A empresa apresentou crescimento de 30% na produção de defensivos agrícolas, saindo de 76,9 milhões de litros, em 2017, para 99,9 milhões de litros, neste ano.

Trigo cearense

Exemplo de inovação, a introdução do cultivo de trigo no Ceará foi explanada pelo diretor executivo do Grupo Santa Lúcia e diretor vogal do Ibef Ceará, Marcelo Peres. Em parceria com a Agrícola Famosa, a produção de trigo no Ceará apenas iniciou, com potencial significativo.

"Trigo é uma cultura milenar que alimenta grande parcela da população e ocupa 17% da área cultivada do mundo", disse Peres, citando que há um movimento do Ministério da Agricultura para transformar o País autossuficiente na área.

O Brasil é um celeiro produtor. No Nordeste destaca-se a Bahia, mas é no Sul onde está o maior volume de produção. No Ceará, segundo Peres, hoje são plantados 10 mil hectares, mas temos 30 mil à disposição, então temos caminho a percorrer. "Enfrentamos o desafio de plantar trigo no Ceará, mas a expectativa é que seja um projeto muito promissor", ressalta.

Fruticultura

O empresário Ismelon Moreira, representante da Agrícola Famosa, mostrou o desempenho e como é minuncioso e inovador o cultivo na fruticultura realizado pela empresa. 

Com negócios no Ceará e Rio Grande do Norte, a Agrícola Famosa, maior produtora e exportadora mundial de melão e melancia, acaba de fechar parceria com a Citri&Co, outra gigante produtora e distribuidora europeia de frutas cítricas e com caroço. Unidas, elas vão potencializar os negócios aproveitando as sinergias de cada lado da operação.

Defensivos

Perguntada se é possível haver produtividade sem o uso de defensivos agrícolas, a diretora Sumitomo Chemical, Joyce de Castro, ressaltou que “na realidade, não conseguimos obter aumento de produtividade sem a utilização oportuna de defensivos agrícolas, na dose certa e com a melhor tecnologia. A evolução tecnológica e o manejo integrado de pragas e doenças permite a utilização de produtos químicos e biológicos de forma sinérgica, viabilizando a redução do uso dos químicos”.

Eventos

A reunião contou com abertura da presidente Renata Paula Santiago e participação do diretor-executivo do Grupo Santa Lúcia e diretor vogal do Ibef, Marcelo Peres. A mediação foi do vice-presidente do Ibef Ceará, Eliardo Vieira. A cada mês, o Ibef irá realizar um encontro exclusivo com os associados, debatendo pautas pertinentes aos executivos de finanças.