Supermercados: preços diferem até R$ 200 por regional; variações de até 307%

mamao
No Centro, Moura Brasil e Praia de Iracema, concentra os preços mais elevados. A média de preços dos 61 produtos analisados ficou em R$ 653,93 Foto: Freepik

Em tempos de alta da inflação a pesquisa ganha mais força como aliada do consumidor. O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) constatou diferença de até R$ 200,00 entre uma regional e outra da cidade praticando preços significativamente distantes para os mesmos produtos. Além disso, há produtos que variam até 307% entre um supermercado e outro.

A nova pesquisa de preços nos supermercados da Capital. O levantamento, realizado entre os dias 4 e 5 fevereiro, traz a análise de preços no novo modelo de reestruturação das secretarias regionais, aprovado no ano passado.

Com isso, o número de regionais com respectivos preços e análises, passa de sete para 12. A quantidade

tabela

de itens também aumentou, passando de 60 para 61 produtos. O Procon acompanha, mensalmente, a evolução de produtos, considerados de primeira necessidade, em todas as regionais de Fortaleza.

Bairros mais caros

A pesquisa aponta que a Regional 12, onde estão os bairros Centro, Moura Brasil e Praia de Iracema, concentra os preços mais elevados. A média de preços dos 61 produtos analisados ficou em R$ 653,93. Aerolândia, Messejana, Cidade dos Funcionários e demais bairros da Regional 6 aparecem em seguida, com o conjunto de produtos saindo por R$ 648,88.

Já nos bairros como Benfica, Montese e Parreão, o levantamento indica que que produtos estão mais baratos. Nestes locais, da Regional 4, a soma dos itens ficou em R$ 472,24. O Procon ressalva que a média de preços por regional, por ser afetada, de acordo com a disponibilidade de produtos nos supermercados.

Quando analisados os preços entre os estabelecimentos, a variação entre o preço mais barato e o mais caro pode chegar a 307,14% de diferença. É o caso do mamão, cujo quilograma pode custar de R$ 0,98 a R$ 3,99. Outro item que apresenta alta variação de preços é o alho, que pode ser encontrado de R$ 13,90 a R$ 43,00, uma diferença de 209,35%.

Adequação

Para a diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, a pesquisa, adequada à nova divisão das 12 regionais, retrata uma maior realidade da vida do cidadão. "A pesquisa chega mais perto do consumidor, pois com uma divisão maior de regionais é possível ser mais fidedigno, coletando preços daquele estabelecimento ou outro que fica perto da casa do consumidor".

A pesquisa completa com os preços dos produtos em todas as regionais está disponível no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza, no campo defesa do consumidor. Também é possível consultar todas as pesquisas mensais já realizadas.

O Procon Fortaleza realiza a pesquisa com itens considerados de primeira necessidade. A análise de preços é dividida por itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil. Os preços são coletados, presencialmente.