White Martins na ZPE Ceará envia oxigênio para Manaus

white
A primeira remessa do gás hospitalar foi enviado para Belém (PA), seguindo para Manaus no dia 12 de janeiro Foto: Governo do Ceará

Semanalmente, 70 mil metros cúbicos (m³) de oxigênio passam a ser enviados pela White Martins, encravada na ZPE Ceará, no Complexo do Pecém, para atender à demanda urgente gerada pela grave crise na saúde vivida por Manaus. A carência do gás gerou um colapso na rede de hospitais públicos e privados.

Remessas

A primeira remessa de carretas de oxigênio foi enviada, na última terça-feira, 12, para Belém, no Pará, de onde seguiria com destino à capital manauara. Uma segunda remessa foi encaminhada nesta quinta-feira, 14, seguindo a mesma logística.

A maior unidade do Brasil e uma das maiores da América Latina, da White Martins está na ZPE Ceará, empresa subsidiária do Complexo do Pecém (Cipp S/A). A companhia fabricante do gás também possui unidade instalada em Manaus, mas devido à alta demanda gerada pelos crescentes casos da Covid-19 na cidade, reforçou o fornecimento local com gases produzidos em outros estados. A unidade da ZPE Ceará tem capacidade total de gerar mais de duas mil toneladas de gases por dia. Além do oxigênio, o nitrogênio, dedicado à preservação do sangue e tecidos vitais, também é produzido na planta local.

Salvando vidas

“A White Martins é uma das empresas instaladas na nossa ZPE Ceará, a única zona de processamento de exportação em atividade hoje no Brasil. Em dias normais, esse oxigênio é produzido para atender à demanda de outra empresa instalada na região: a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP). Mas diante dos desafios impostos pela pandemia, a White Martins acaba assumindo um importantíssimo papel na missão de salvar vidas. Vivemos uma realidade em que a solidariedade e o olhar para o outro é o que realmente importa. Assim, é um orgulho saber que uma de nossas empresas instaladas está contribuindo diretamente para salvar vidas e auxiliando a população de Manaus nesse cenário tão difícil”, pontua Danilo Serpa, presidente do Complexo do Pecém (CIPP S/A).

Logística ágil

Segundo o diretor de operações da ZPE Ceará, André Freitas, a empresa já tem trabalhado para que toda a logística de transporte dos cilindros seja feita de maneira ágil e eficiente, em virtude da urgência da situação. “Nós que somos responsáveis pela área de operações da ZPE Ceará estamos empreendendo todos os esforços necessários para que o envio desse oxigênio seja um sucesso. Estamos em contato permanente com o setor operacional da White Martins para garantir que tudo seja feito de maneira mais célere possível, principalmente porque estamos lidando com vidas”, diz.