Natura Ekos: 3 anos de certificação e apoio a extrativistas

amazonia
Selo UEBT atesta a manutenção da floresta, repartição justa dos benefícios, respeito pelas condições de trabalho, geração de renda e desenvolvimento local. Em 2021, Natura já firmou cinco novas parcerias com comunidades

Em tempos de ataque à Amazônia e seus povos uma iniciativa para se aplaudir. Natura Ekos comemora três anos de certificação pela União para o Biocomércio Ético (UEBT – The Union for Ethical BioTrade).

O selo certifica o fornecimento ético dos bioativos com respeito à biodiversidade e às pessoas pelo biocomércio justo, gerando renda e condições seguras de trabalho para as comunidades de sua cadeia produtiva, mantendo a floresta em pé.

Exemplo

A marca de cuidados pessoais é uma das únicas marcas do mundo a conquistar a certificação

“Utilizamos técnicas de bioagricultura para que nossos processos ajudem na recuperação das águas, regenerem solos e melhorem a qualidade do ar nas regiões onde atuamos. Somado a tudo isso, é fundamental que as comunidades tenham garantia de renda justa e condições socioeconômicas adequadas tanto pela venda de matéria-prima quanto pela repartição de benefícios”, afirma Mauro Costa, gerente de suprimentos da Natura.

Atualmente, a Natura se relaciona com 8,3 mil famílias em 40 comunidades nas cadeias produtivas da sociobiodiversidade. No mesmo ano em que Ekos celebra a renova o selo UEBT, a Natura já fechou parceria com cinco novos parceiros:

·         Associação dos Produtores Agroextrativistas da Colônia do Sardinha (Aspacs), do município de Lábrea (AM), para manteiga de murumuru;

·         Cooperativa dos Produtores de Agricultura Familiar e Economia Solidária de Nova Cintra (Coopercintra), de Rodrigues Alves (AC) para manteiga de murumuru;

·         Cooperativa dos Pequenos Produtores Agroextrativistas de Lago do Junco (COPPALJ)dos municípios de Lago do Junco, Lago dos Rodrigues e Bom Lugar (MA) para óleo de babaçu;

·         Cooperativa Central de Comercialização Extrativista do Acre (Cooperacre) de Rio Branco (AC) para Castanha;

·         Fundación Chankuap da cidade de Macas (Equador) para óleo essencial de Ishpink