Receita da Natura &Co sobe 26%; venda digital dispara 166%

natura
A megacompanhia de beleza e cuidados pessoais, grupo do qual fazem parte as marcas Avon, Natura, The Body Shop e Aesop, apresentou mais um trimestre de crescimento acima de dois dígitos da receita

Entre os destaques, estão também a bem-sucedida emissão de US﹩ 1 bilhão em títulos atrelados a metas de sustentabilidade e aumento das sinergias a serem obtidas com Avon para entre US﹩ 350 milhões a US﹩ 450 milhões

Natura &Co, grupo do qual fazem parte as marcas Avon, Natura, The Body Shop e Aesop, registrou mais um trimestre de crescimento acima de dois dígitos da receita, superando o desempenho do mercado de Cosméticos, Fragrâncias e Higiene Pessoal (CFT, na sigla em inglês) no primeiro trimestre de 2021. O resultado foi impulsionado por forte alta das vendas digitais do grupo, enquanto o Ebitda cresceu mais de 400% no período.

A receita líquida consolidada no primeiro trimestre foi de R﹩ 9,5 bilhões, alta de 25,8% em Reais e 8,1% em moeda constante, com crescimento das vendas em moeda brasileira nas quatro icônicas marcas de beleza que fazem parte do grupo.

O Ebtida reportado aumentou 470,7%, para R﹩ 829,1 milhões, com alta de 6,9 pontos percentuais da margem, para 8,8%. O Ebitda ajustado, que exclui os custos de transformação e os efeitos relacionados à aquisição da Avon, teve alta de 68,5% no período, para R﹩ 963,2 milhões, com margem de 10,2% (alta de 2,6 pontos percentuais em relação ao mesmo trimestre de 2020).

e-commerce é alavanca

A forte performance observada no primeiro trimestre do ano foi impulsionada pelo crescimento das vendas digitais (via social selling e e-commerce) em todas as marcas. Considerando o desempenho total do grupo, as vendas on-line aumentaram 166%. Na Natura, as vendas digitais tiveram alta de 253%, enquanto na Avon o crescimento também foi de três dígitos, em 132% (considerando as operações globais, que incluem América Latina).

As vendas digitais da Aesop dobraram, com alta de 102% no trimestre, e agora representam 29% de todo o seu faturamento. A The Body Shop continuou sua bem-sucedida jornada de expansão dos canais de e-commerce e venda direta, que tiveram avanço de 119% e 251%, respectivamente. Combinados, esses dois canais já representam metade das vendas do negócio.

O uso dos aplicativos para incrementar as vendas das consultoras e representantes também ganhou tração, com alta de 175% das vendas por meio do catálogo virtual da Avon, considerando a operação global. Considerando a marca Natura na América Latina, o número médio de consultoras que compartilham conteúdos aumentou mais de 350%, e os pedidos por meio das mais de 1,3 milhão de lojas virtuais das consultoras na região cresceram 80% na comparação com igual período de 2020.

Relacionamento

"Natura &Co teve mais um trimestre de fortes resultados nos três primeiros meses de 2021, apesar do ambiente persistentemente desafiador, mais uma vez demonstrando a força de seu modelo multicanal, de relação direta com o consumidor. Todas as nossas marcas e negócios tiveram expansão em Reais no período, e nossa crescente ênfase nas vendas digitais e on-line permitiu que, mais uma vez, superássemos o mercado global de CFT. A recente conclusão bem-sucedida de emissão de US﹩ 1 bilhão em títulos atrelados a claras e ambiciosas metas de sustentabilidade também evidencia a consistência do grupo, ao alinhar metas financeiras e ambientais", afirma Roberto Marques, presidente executivo do Conselho de Administração e CEO de Natura &Co.

Considerando as unidades de negócio do grupo, Natura &Co América Latina registrou crescimento de 24,6% da receita líquida no primeiro trimestre. A marca Natura teve alta de 29,6% da receita em Reais, com forte expansão tanto no Brasil (+12,6%) quando na América Hispânica (+60,4%). A receita líquida da marca Avon na região aumentou 20% em Reais, sendo que a forte expansão na América Hispânica, de 35,1%, mais do que compensou a retração de 2,8% no Brasil. O Ebitda ajustado cresceu 119,2%, para R﹩ 630,3 milhões, com margem de 12,2%, crescimento de 6,9 pontos percentuais. A clara liderança do grupo Natura &Co no mercado de CFT da região também foi confirmada pela Euromonitor, que mostrou que a participação de mercado do grupo alcançou 12,5%, alta de 0,7% em relação ao ano anterior, sendo que no Brasil a participação alcançou 17%, 1 ponto percentual a mais do que em 2019.

Avon

Na Avon Internacional, o primeiro trimestre foi de crescimento de 11,4% da receita em Reais, com ganhos de participação em seus oito principais mercados, incluindo o Reino Unido. O Ebitda ajustado foi de R﹩ 97,4 milhões, com 4,1% de margem (retração de 0,7 ponto percentual), como reflexo do impacto da pandemia em categorias-chave, notadamente na Europa, além de investimentos estratégicos em áreas como digital e comercial, para acelerar o crescimento futuro.

The Body Shop

A The Body Shop, por sua vez, teve mais um forte trimestre, com alta de 47,7% da receita líquida em Reais. O negócio foi bem-sucedido em compensar os efeitos da pandemia sobre o varejo, especialmente na Europa, em função da aceleração das vendas nos canais de venda direta e e-commerce. O Ebitda no primeiro trimestre foi de R﹩ 194,2 milhões, com margem de 14,7% (redução de 0,3 ponto percentual).

A Aesop também teve mais um trimestre de excelente desempenho, com crescimento de dois dígitos das vendas e da lucratividade em Reais. A receita líquida avançou 71,9% no primeiro trimestre, com expansão em todas as regiões, apesar do fechamento de lojas na Europa, Canadá e em partes da Austrália. A excelente performance na Ásia e fortes aumentos das vendas digitais mais do que compensaram esses efeitos. O Ebitda mais do que dobrou, para R﹩ 156,6 milhões, com margem de 26,7%, alta de 3,9 pontos percentuais em relação a igual período do ano anterior.