Lady Driver chega a Fortaleza e gera oportunidade de renda

img1
Considerada a maior plataforma de transporte feminino do mundo, segundo o jornal inglês Financial Times, esta modalidade por aplicativo está abrindo vagas para as motoristas em Fortaleza 

A capital cearense foi escolhida pelos empreendedores Luciana Dalla Nora e Miguel Andrade para instalar a franquia da startup Lady Driver, ampliando a chance de colocação no mercado e dando mais segurança para as mulheres, seja na direção ou mesmo como passageira. A expectativa de início da operação na Capital cearense é em junho.

Pioneira no País e já considerada a maior plataforma de transporte feminino do mundo, segundo o jornal inglês Financial Times, esta modalidade por aplicativo está abrindo vagas para motoristas em Fortaleza. 

O principal diferencial é dirigir para mulheres, mas a condutora também será treinada para atender a chamadas de pessoas da terceira idade ou com alguma redução de mobilidade (Lady Care) e de crianças e adolescentes (Lady Kiddos).

Descontos

As passageiras contarão com um programa único e exclusivo de descontos (Lady Card). Com tecnologia própria, a Lady Driver dispõe de atendimento automatizado com algoritmos de análise e decisão para passageiras e motoristas; comunicação com passageira e motorista por meio de chat e push estilizados; monitoramento de toda a operação; envios de push/sms/e-mail-métricas; e analytics para análise de KPI’s (incentivo de motoristas com antifraude, 100% automatizado).

Todos esses cuidados, pensados pela fundadora e CEO da startup, Gabryella Corrêa, após sofrer assédio em transporte de app famoso no ano de 2016, tornou a Lady Driver referência nacional de modelo de serviço por aplicativo que realmente protege as mulheres contra mais este tipo de violência.

Mercado

A Lady Driver registrou mais de 5 milhões de corridas num período de três anos de atuação em São Paulo, onde iniciou o serviço em 08 de março de 2018, e conta hoje com mais de 60 mil motoristas cadastrados. E no atual cenário de pandemia da Covid-19, onde as mulheres foram as mais afetadas com a perda do emprego formal e estão tendo que se reinventar, além de ter a segurança de se locomover para o trabalho ou outro compromisso tendo uma mulher na direção, é possível agora ter uma renda fixa ou extra sendo uma motorista da Lady Driver. 

Como aderir

Os requisitos são ter Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com observação “Exerce Atividade Remunerada”; Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV) atualizado; carro dentro do padrão Lady Driver; cartão de crédito e conta bancária (para receber a remuneração); atestado de antecedentes criminais (obtido na Polícia Civil); e comprovante de residência no seu nome.

Segundo os sócios Luciana Dalla Nora e Miguel Andrade, que assinaram o contrato de franqueados no último dia 28 de março, para garantir o conforto e reforçar a segurança das passageiras, são feitas algumas exigências quanto ao veículo cadastrado junto à Lady Driver. 

O máximo é de oito anos de fabricação; precisa ter ar-condicionado e quatro portas, além do IPVA e licenciamento estarem com pagamentos em dia. E Fortaleza já passa a contar com o novo serviço lançado neste ano, Lady
Kiddos. 

Pioneiro no  país na modalidade de transporte por aplicativo, a ideia, explicam Luciana e Miguel, é auxiliar na locomoção desse público específico para a escolas, cursos extracurriculares, outros tipos de atividades e até deslocamento à casa de familiares ou amigos.

No caso da Lady Care, o serviço foi pensado para humanizar a locomoção de pessoas que necessitam de um cuidado maior, seja para ir em uma consulta médica, fazer exames ou mesmo algum momento de lazer em família ou com amigos. Também conhecidas como “Mãetoristas Lady”, aos motoristas deste aplicativo podem tanto atender corridas agendadas, chamadas pontuais ou emergências, e o serviço ficará disponível 24 horas por dia. 

“A seleção de motoristas é bastante rigorosa também e, em contrapartida, a Lady Driver garante a melhor remuneração. Não há cobrança de mensalidade, pois todos os ganhos provêm de um percentual de cada corrida feita dentro do aplicativo. Somado a tudo isso, fazer parte de uma empresa brasileira que vem dando oportunidade para brasileiras e movimenta a economia, nos deixa mais confiantes de que estamos contribuindo com este cenário num momento tão delicado pelo qual passa o mundo e o nosso país, além de contribuir com a redução do assédio às mulheres”, reforça

Miguel Andrade. Luciana lembra que ao completar 150 motoristas cadastrados, o serviço começará a funcionar na capital cearense. “A nossa expectativa é que dentro de 30 dias a Lady Driver possa oferecer este atendimento especializado e diferenciado para as mulheres, sejam elas residentes ou turistas”, pontua a sócia da startup.

Números Gerais
- 2,8 bilhões de corridas/ano são realizadas por apps de mobilidade no Brasil
- 25% é a média da taxa cobrada pelos aplicativos de transporte
(Fonte: Relatório Q4 2019 – Investidor Uber)

Lady Driver
- 1,5 milhões de downloads apps passageiras
- Mais de 5 milhões de chamadas de passageiras
- Mais de 60 mil motoristas cadastradas
*** Somente no estado de São Paulo (março/2018 até hoje)

Serviço:
Lady Driver
Cadastro para motoristas:
App Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.com.ladydriver.driver