Jasmine Alimentos: novo CEO e aposta no e-commerce próprio

jasmine
Rodolfo Tornesi Lourenço, à frente da empresa com foco em alimentos saudáveis. Nos primeiros seis meses do ano a empresa jásuperou 18% de crescimento

A Jasmine Alimentos – empresa paranaense fundada há 30 anos e líder no segmento da alimentação saudável no mercado brasileiro – acaba de anunciar um novo CEO. Rodolfo Tornesi Lourenço, 31 anos, que até então ocupava o cargo de diretor de Inovação e Transformação da companhia, passa a ser o Chief Executive Officer com muitos desafios pela frente. O anúncio foi feito no dia 31 de agosto, durante um evento on-line para colaboradores.

A empresa continua investindo em novas tecnologias e na inovação para acompanhar o rápido movimento do mercado de alimentação saudável e também para atender às expectativas dos clientes da marca. 

Demanda em alta

Com o aumento da demanda por conta do crescimento da preocupação das pessoas com os alimentos que consomem, a perspectiva para os próximos anos é ainda mais otimista. Uma pesquisa feita pela Associação de Promoção dos Orgânicos (Organis), por exemplo, aponta que houve um aumento de 44,5% no consumo de orgânicos durante os sete primeiros meses da pandemia causada pela covid-19. De acordo com outro estudo, feito pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), 36% dos consumidores passaram a procurar mais por alimentos e bebidas que consideram benéficos ao sistema imunológico.

Mesmo durante a pandemia, a empresa evoluiu, mantendo sua posição de mercado e crescendo em alguns segmentos, inclusive. “Para se ter uma ideia, a nossa meta de ascensão em vendas para o primeiro semestre de 2021 era de 15%. Porém, nos primeiros seis meses do ano, já passamos dos 18% de crescimento”, revela o novo CEO.

e-commerce próprio

A Jasmine acelera o processo de criação de um e-commerce próprio, que deverá ser lançado ainda em 2021. “Desde que entrei na companhia, sempre tive o caminho aberto para crescer, progredir e inovar. Agora, na função de CEO, vou continuar assumindo responsabilidades e superando os desafios ao lado de todo o time para manter a Jasmine no topo da preferência dos brasileiros”, diz.  

Ações

Durante a pandemia, a empresa não parou de inovar, lançando diversos produtos, como os biscoitos saudáveis inspirados na série Detetives do Prédio Azul, do Gloob (canal infantil das Organizações Globo), e os novos sabores de pães sem glúten e granolas. Ainda em setembro deste ano, a Jasmine vai apresentar ao mercado duas versões de granola – Integral com Maçã e Canela e Zero Açúcar Tradicional – no tamanho família.

A parceria firmada com a Amazon em 2020 para a venda de produtos da marca alcançou excelentes resultados. "Desde que começamos a comercialização, vendemos mais de 100 mil unidades por esse canal. Isso mostra que o consumidor está ainda mais propenso a comprar de forma online", destaca Rodolfo.

Sustentabilidade

Outra novidade da empresa é a criação de um Comitê Interno de Sustentabilidade, que nasce com o objetivo de promover debates em profundidade e aprimorar o planejamento e as aplicações de ações voltadas ao tema, além de identificar oportunidades de melhorias nos negócios. “Pensar sustentável é ter a certeza de que o que estamos construindo hoje será o legado para o nosso futuro. A Jasmine, como uma empresa que entende seu papel junto à sociedade, natureza e às pessoas, sempre buscou os melhores recursos para a produção dos alimentos, mas podemos ir além e realizar um trabalho ainda mais consistente e duradouro. Certamente, o comitê auxiliará muito nesta tarefa”, finaliza Rodolfo.

Perfil

Rodolfo começou a trabalhar na Jasmine Alimentos em 2009 como estagiário do departamento jurídico, quando ainda era estudante de Direito. Pouco tempo depois, foi efetivado e teve a oportunidade de trabalhar bem perto da família do empresário Christophe Allain, que fundou a marca na década de 1990.

Christophe e a esposa, Rosa, começaram, ainda em 1970, a dar os primeiros passos na trajetória da Jasmine Alimentos, ao oferecerem aos amigos alimentos macrobióticos – alimentação da qual eram adeptos. A partir daí, o casal criou um pequeno negócio de alimentos naturais, integrais e orgânicos, que ao longo dos anos se transformou num dos principais players do setor e hoje fatura aproximadamente R$ 200 milhões ao ano.

Quando a Jasmine foi vendida à empresa francesa Nutrition et Santé – líder na categoria “health and wellness” de orgânicos e funcionais na Europa e subsidiária da farmacêutica japonesa Otsuka – em agosto de 2014, Rodolfo, já então graduado e especialista em due diligence, atuou de forma ativa neste processo, pois, além de conhecer profundamente o negócio, tem em seu DNA os propósitos da marca.

Depois de o negócio ser fechado, Rodolfo foi convidado pela Nutrition et Santé a permanecer no time, assumindo funções gerenciais, ainda em 2014. A partir daí, ele teve a missão de propagar a nova cultura da empresa, que chegava a uma fase inédita, mas também desafiadora, com mais de 300 funcionários diretos.

A decisão da multinacional de manter o profissional na companhia após tê-la adquirido se mostrou acertada, pouco tempo depois. “Entre os anos de 2017 e 2018, o choque cultural de uma nova gestão demandou muito trabalho e planejamento”, recorda. Pouco depois, Rodolfo assumiu a função de Diretor de Inovação e Transformação, cargo que ocupou até agosto de 2021.