B3 aponta crescimento de 43% de investidores pessoa física

bolsa
Número de investidores bate 3,8 milhões; valor em custódia é de R$ 545 bilhões, alta de 55% na comparação entre os primeiros seis meses de 2021 e 2020 Foto: Freepik

Desde 2019, quando o número de pessoas físicas na renda variável atingiu a marca de 1 milhão, a B3 tem acompanhado mais de perto o comportamento desses investidores.

Levantamento divulgado pela bolsa brasileira mostra crescimento de mais de 43% no número de investidores no primeiro semestre de 2021, ante o mesmo período de 2020, fechando o mês de junho com 3,8 milhões de contas.

Segundo a análise realizada pela B3, com a chegada dos novos investidores pessoas físicas, no último semestre, o valor em custódia investido em renda variável alcançou R$ 545 bilhões, cifra 55% superior à registrada no mesmo período de 2020. Já o volume de negócios diários em renda variável subiu 26% em relação ao mesmo período do ano passado, totalizando R$ 14 bilhões.

“As pessoas estão investindo com valores menores, observamos, por exemplo, que o primeiro investimento mediano mensal encolheu para R$ 352, ante R$ 985 em 2020”, explica Felipe Paiva, diretor de Relacionamento e Pessoa Física da B3.

De acordo com o executivo, os dados também confirmam a chegada de investidores mais jovens e de fora do eixo Rio-São Paulo. “Pessoas cada vez mais jovens e de outras regiões do país vêm percebendo as oportunidades de investir na bolsa e se dando conta de que podem começar com valores que cabem no bolso. Com mais opções de diversificação na carteira é possível se planejar para atravessar as oscilações do mercado rumo a novas fontes de rendimento”, explica Paiva.

Mais investidores do Nordeste

O estudo da B3 traz dados demográficos indicando que, apesar de o Sudeste do país concentrar o maior número de investidores, as demais regiões têm apresentado maior aumento relativo na comparação entre 2018 e 2021. As regiões Norte e Nordeste cresceram 575% e 486%, respectivamente.

Jovens e mulheres

De acordo com a pesquisa da B3, a maior parte dos investidores entra no mercado de equities na faixa de 25 a 39 anos, representando 50% dos novos entrantes.

Quando se observa o comportamento de investimento das mulheres, nota-se que elas fazem o primeiro aporte com ticket mediano superior ao dos homens, sendo R$ 481 contra R$ 303. Historicamente, as investidoras entram com valores maiores. Em 2014, por exemplo, a média do valor inicial das mulheres era de R$ 6 mil, versus R$ 4 mil dos investidores do sexo oposto.

PRINCIPAIS NÚMEROS:

1º Semestre 21 x 1º Semestre 20

43% é o aumento no número de investidores na B3, totalizando 3,8 milhões de contas (número de CPFs cresceu 42%, chegando a 3,2 milhões).
R$ 545 bilhões é o valor em custódia desses investidores em renda variável, o que representa um aumento de 55% no mesmo comparativo.
R$ 14 bilhões é o volume médio diário negociado no último semestre, alta de 25% sobre o período correspondente de 2020.
2.982% foi o salto no total de investidores em BDRs nos seis primeiros meses de 2021 em relação ao mesmo período do ano passado.
R$ 9 bilhões é o valor em custódia investido em ETFs, total 49% superior ao registrado no primeiro semestre de 2020.
Passamos a marca de 1 milhão de investidores em fundos imobiliários, atingindo 1,4 milhões ao final do 1Sem/2021, alta de 56%.