Campanha Imposto do Bem auxilia Povo do Mar

img1
A campanha, lançada pelo grupo empresarial Lide Ceará, busca incentivar a destinação de recursos financeiros ao Terceiro Setor

Várias Organizações da Sociedade Civil (OSCs) em todo o país sobrevivem apenas por meio de doações. Mas você sabia que existe um recurso que pode ajudar a manter projetos como o do Instituto Povo do Mar, sem que haja um custo a mais para as empresas ou pessoas que pagam Imposto de Renda?

Sabendo disso, o grupo Lide Ceará lançou a campanha Imposto do Bem, para incentivar que o empresariado local reverta 100% do valor que iria para o Fisco, em benefício de OSCs.

 500 crianças atendidas

Dado Montenegro, presidente do Instituto Povo do Mar, que atende a mais de 500 crianças e adolescentes do Grande Vicente Pinzón, ressalta que os recursos recebidos podem transformar centenas de vidas e que a colaboração das empresas é fundamental.

 "Sabemos que a maioria das empresas já destina parte desse recurso, mas ainda não é 100%. A intenção é que os empresários façam uma consulta ao seu contador para que a destinação seja a maior possível. Lembrando que não é doação, é a destinação de um imposto que iria para o Fisco", ressalta.

A presidente do Lide Ceará, Emília Buarque, lembra que é importante as empresas cearenses destinarem o imposto a iniciativas do próprio Estado. "Muitas vezes, as empresas realizam a destinação para projetos de São Paulo, do Rio de Janeiro. É importante que o imposto gerado pelas empresas do Ceará fique aqui. Para termos uma melhor distribuição dos recursos", disse ela em recente live que abordou o assunto.

 Como funciona

Hoje empresas e pessoas físicas que pagam Imposto de Renda podem doar até 8% do valor cobrado pelo Fisco a projetos do Terceiro Setor, podendo ser até 4% para a Lei Rouanet (Cultura), 1% para a Lei de Incentivo ao Esporte, 1% para o Fundo do Idoso, 1% para o Fundo da Criança e do Adolescente, 1% para o Pronas (Pessoa com Deficiência) e 1% para Pronon (Tratamento ao Câncer).

Pessoas físicas que pagam IR também podem contribuir com até 8% do imposto devido, caso a destinação seja feita ainda no ano base, ou com 3% se for realizada na declaração.