Afastamento da CNC: Gastão diz que nada desabona sua conduta

gastao
O presidente da Fecomércio Ceará continua à frente da entidade, apesar do afastamento de 180 dias da vice-presidência da CNC

O presidente da Fecomércio do Ceará, Luiz Gastão Bittencourt, convocou coletiva nesta segunda-feira (13) para falar sobre o seu afastamento temporário, por um período de 180 dias, da vice-presidência da Confederação Nacional do Comércio (CNC), por decisão do Conselho de Representantes da entidade lojista. Apesar de se manter à frente da Fecomércio Ceará, o empresário destacou questões políticas que levaram à decisão e disse não ter tido conduta antissindical. Ele negou qualquer irregularidade.

“Não há nada que desabone a minha conduta. Fui condenado injustamente por um critério de aparência que não existe no direito, não existe um fato ou uma prova contra mim. Não foi apontada nenhuma atitude no processo eleitoral que pudesse me condenar", destacou. A defesa foi diante de acusações de prática antissindical nas eleições da Fecomércio do Distrito Federal.

Mandato

Gastão ressaltou que ficará à frente da Fecomércio-CE até o início de junho do próximo ano. No momento, segundo explicou, estão ocorrendo os pleitos nos 35 sindicatos ligados à Federação. Após as decisões de quem serão essas lideranças sindicais, ocorrerá então a eleição para definir quem assume a Presidência da Fecomércio no próximo mandato. Ele afirmou sua disposição de continuar à frente da entidade, mas que isso dependerá da escolha destes líderes. “Os sindicatos relacionados ao comércio no Estado vão decidir”, reiterou.

Ilegalidades

Quanto à gestão na Fecomércio-CE, Gastão afirma que durante sua ausência por motivos de licenciamento indo para o Rio de Janeiro, foram constatadas em sindicância ilegalidades, como a desativação de atividades da entidade, além da aquisição de um software que seria usado no acompanhamento de programas culturais, estimado em mais de R$ 1 milhão, mas que nunca chegou a ser entregue à Fecomércio. Outra ação irregular é relativa à aquisição de um terreno na Avenida Washington Soares e que é motivo de representação no TCU.