Ceará: valor do financiamento imobiliário salta 102% no ano

img1
Nos primeiros dez meses de 2021, o valor financiado no Brasil atingiu R$ 171,85 bilhões, alta de 85,4% em relação a igual período do ano passado

No Ceará neste ano até outubro foram financiados 13.020 imóveis totalizando R$ 2,78 milhões, contra 5.404 unidades, somando 1,37 milhões em igual período de 2020. O crescimento em valores financiados foi de 102%, acima da média do País, onde o crédito imobiliário do SBPE avançou em igual período 85%.

Em todo o Brasil, os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) atingiram R$ 17,16 bilhões em outubro de 2021, montante 3,9% inferior ao de setembro (R$ 17,85 bilhões), mas superior em 23,7% ao de outubro de 2020.

Nos primeiros dez meses de 2021, o valor financiado atingiu R$ 171,85 bilhões, alta de 85,4% em relação a igual período do ano passado. Nos 12 meses compreendidos entre novembro de 2020 e outubro de 2021, o montante financiado somou R$ 203,15 bilhões, alta de 86,2% em relação aos 12 meses anteriores. Financiamentos Imobiliários - Unidades foram financiadas em outubro de 2021, nas modalidades de aquisição e construção, 71,1 mil imóveis, resultado 3,7% menor que o de setembro.

Comparado a outubro de 2020, observou-se alta de 56,2%.No ano, entre janeiro e outubro de 2021, foram financiados com recursos da poupança do SBPE 734,4 mil imóveis, resultado 126,2% superior ao de igual período do ano passado. No período de 12 meses compreendido entre novembro de 2020 e outubro de 2021 o número de unidades financiadas com recursos da poupança foi de 836,55 mil, resultado 117,2% superior ao dos 12 meses anteriores (385,20 mil imóveis).  

Poupança em baixa

Em outubro, a captação líquida da poupança SBPE voltou a acusar resultado negativo (-R$ 5,97 bilhões). Na série histórica iniciada em 1994, os meses de outubro mostram mais resultados negativos (61%) do que positivos (39%). Neste ano, em particular, essa tendência estatística pode ter sido agravada pelo desemprego, por inflação em alta e queda na renda, induzindo os titulares de cadernetas a utilizar parte de suas reservas para custear as despesas domésticas.

Com isso, a captação líquida registrada entre janeiro e outubro de 2021 foi negativa (-R$ 31,6 bilhões),Em decorrência da captação líquida negativa, houve redução de 0,4% do saldo da poupança SBPE entre setembro e outubro, para R$ 787,1 bilhões. Comparativamente a outubro do ano passado, ainda se observa ligeira elevação de 0,5% no estoque aplicado.