Preços de imóveis sobem em 10 capitais; 2,84% em Fortaleza

imoveis
No Nordeste, Salvador puxa as elevações, com 6,57% em 12 meses em 1,07% em julho deste ano. Na Capital cearense, o avanço no mês de julho foi de 0,87% Foto: Regina Carvalho

A tendência é de elevação de preços também no setor imobiliário. Fortaleza apresenta alta de 2,84% nos últimos 12 meses, mas somente em julho houve avanço de 0,87% nos preços de imóveis. No Nordeste, Salvador puxa as elevações, com 6,57% em 12 meses em 1,07% em julho deste ano.

No País, quem lidera os aumentos é São Paulo, que já registra um acumulado de 17,83% nos últimos 12 meses e, em julho apresentou um salto de 2,39% nos preços.


Os preços dos imóveis residenciais nas dez capitais foram analisadas pelo IGMI-R/Abecip e tiveram elevação na leitura de julho, em comparação ao resultado do mês anterior, sendo que todos também tiveram aceleração nos respectivos resultados acumulados em 12 meses em relação aos resultados de junho.

Inflação

As variações acumuladas em 12 meses do IGMI-R/Abecip para o Brasil e do IPCA/IBGE praticamente igualaram-se em maio último, interrompendo uma sequência de valorização real dos preços dos imóveis residenciais, iniciada no último trimestre de 2019. 

Com os resultados apurados nos meses de junho e julho de 2021, verifica-se novamente um avanço dos preços dos imóveis residenciais em termos reais.

Construção civil

Os últimos resultados da Sondagem da Construção Civil do IBRE/FGV mostram uma acomodação da percepção dos empresários do setor de edificações residências em relação à evolução recente da atividade em relação em julho, em comparação ao mês anterior. 

No entanto, como podemos ver no gráfico abaixo, a percepção dos empresários do setor em relação à tendência dos negócios possui informação significativa para antecipar os movimentos da percepção em relação à evolução recente da atividade nos meses seguintes, sendo que em julho esse indicador avançou pelo segundo mês consecutivo.