Camilo na Fiec: hidrogênio verde pode dobrar PIB do Ceará

camiloregina
O governador foi recepcionado nesta sexta-feira (10) pelos empresários da indústria e autoridades, liderados pelo presidente da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Ricardo Cavalcante Foto: Regina Carvalho

O hub de hidrogênio verde deverá ser a nova fronteira de desenvolvimento do Ceará e vem com a marca da descarbonização e da sustentabilidade, segundo aposta o governador do Ceará, Camilo Santana. Mais um memorando de entendimento para investimento no chamado H2V no Estado será assinado na próxima semana, perfazendo 14 até o momento. A perspectiva é de dobrar o PIB do Estado, ambiciona Camilo.

Segundo números apresentados pelo governador, o PIB cearense avançou 26,15% de 2007 até 2020, apesar das crises econômicas que o País atravessou, o que inclui a pandemia de Covid19.

Essa expansão, de acordo com Camilo, no período, ficou acima da média do País que registrou 15,91%. A expectativa para em 2021 continua a ser de crescimento acima da média nacional.

Parceria com a indústria

O governador foi recepcionado nesta sexta-feira (10) pelos empresários da indústria e autoridades, liderados pelo presidente da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Ricardo Cavalcante, que conclamou os industriais a ficarem atentos à Zona de Processamento de Exportação (ZPE), pelas oportunidades de internacionalização. Na ocasião, foi ainda apresentado o Atlas Digital Costeiro e Marinho do Ceará e assinado protocolo de incentivo ao setor de moda e confecções.

Com a pandemia, em 2020, não houve a tradicional recepção do governador pelo empresariado da indústria. Neste ano, foi celebrada a parceria entre o setor produtivo e o governo estadual, não apenas no aspecto econômico, mas também nas ações para o atendimento à população no enfrentamento à Covid19. Camilo agradeceu a parceria, que rendeu frutos como o Elmo, equipamento que evita a intubação dos pacientes.

Atração de investimentos

"Estamos construindo uma política de atrair investidores ao Estado. O Ceará parte na frente e a Fiec é um grande parceiro, na atração, no diálogo, na construção do ambiente, que pode inclusive dobrar o PIB do Estado nos próximos anos. Já estamos discutindo uma forma de como esses investimentos podem gerar mais oportunidades e diminuir a pobreza e a desigualdade no nosso Estado", disse Camilo Santana.

Potencial da ZPE

"Mesmo tendo feito tudo que fizemos (nas ações diante da pandemia) em nenhum momento deixamos de lado o desenvolvimento de nossa indústria. Todo País que cresceu no mundo foi baseado na ZPE, os Emirados Árabes têm 45, só em Dubai são 35. Estamos com o Centro Internacional de Negócios para mostrar todas as oportunidades que a nossa ZPE nos dá", assinalou Ricardo Cavalcante.

Sustentabilidade

O presidente da Fiec anunciou ainda a implantação de Núcleo de Governança Ambiental, em janeiro próximo, com um programa voltado para as indústrias que apresentarem as melhores práticas ambientais, sociais e de governança, preparando a indústria cearense para os investimentos que estão chegando.

Passaporte da vacina

O governador do Ceará voltou a criticar  a não adoção pelo governo federal do passaporte da vacina para quem entra no Brasil. Segundo afirmou a  decisão "é lamentável porque se você for hoje para viajar para qualquer país da Europa, nos EUA, eles exigem documento de vacinação. Então assim é lamentável porque nós sabemos que o vírus quando veio para o Brasil veio através dos nossos aeroportos”. 

Ainda falando se referindo à retomada do turismo, Camilo disse: "queremos abrir o turismo, queremos que as pessoas venham, mas com segurança e dar segurança aos cearenses e brasileiros”.