Fortaleza é 3º do NE na demanda; Natal e Maceió na frente

fortaleza
A Capital cearense não tem liderado os rankings de busca nos últimos levantamentos, mas sempre figura dentre os destaques e está na mesma posição do Rio de Janeiro no ranking da Braztoa 

Os destinos de Sol e Praia continuam sendo os mais buscados, principalmente com a chegada do verão, mas os atrativos de luxo, resorts, viagens de inverno, ecoturismo e turismo rural também ganharam espaço e aparecem na lista de desejos dos viajantes, de acordo com levantamento da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa) de novembro, referente a outubro.

Destinos nacionais

O mercado nacional representa a maior parcela das comercializações de outubro. No ranking dos destinos, Gramado (RS) lidera a lista, seguido por Natal e Salvador na segunda colocação, e Fortaleza, Maceió e Rio de Janeiro em terceiro lugar. Já Bonito (MS), Jalapão (TO) e São Luís (MA) então entre os destinos com crescimento expressivo nas buscas de viagens no período. Entre os destinos internacionais, os destaques são: Cancun, Portugal, Estados Unidos e Paris, nesta ordem. 

Turismo reage

Faltando mais de um mês para o início do verão, a temporada promete ser intensa, mostrando que gradualmente a atividade turística ganha mais corpo. Segundo o estudo, as férias de verão e os feriados de Natal e Réveillon foram responsáveis por 40,4% das vendas de outubro. Também foi registrado uma forte procura pelo próximo feriado de Carnaval, celebrado em março de 2022.

Operadoras vendem mais

O levantamento mostra ainda que 93% das operadoras de turismo vêm registrando aumento contínuo no faturamento. Além disso, 52% das operadoras alcançaram 50% do faturamento anterior à crise sanitária de Covid-19, sendo que 21% já ultrapassou esse índice.

Cruzeiros

Dentre os cruzeiros marítimos representam 15% das vendas para o Carnaval, 12% para o Réveillon e 11% para o Natal. “Os dados são de vendas realizadas em outubro, quando a retomada dos cruzeiros ainda era uma expectativa. Agora que se tornou realidade, este número deve crescer”, destacou Roberto Haro Nedelciu, presidente da Braztoa.