Mercado de estágios no CE tem retração de 22%

img1
Na outra ponta, as vagas para aprendizagem e, portanto com vínculo empregatício, mostraram desempenho positivo, com alta de 44,4% no Estado Foto: Freepik

Os efeitos da pandemia não deixaram de afetar o mercado de estágios, que apresentou uma retração de 22,2% no Ceará no primeiro semestre de 2021. Na outra ponta, as vagas para aprendizagem - com vínculo empregatício- saltaram 44,4% no Estado.

Os dados são em comparação a igual período do ano passado, divulgados pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE). O balanço considerando ambas as modalidades, estágios e aprendizagem registrou queda de 7,8% no Estado.

Ao analisar o comportamento do mercado, o CEO do CIEE, Humberto Casagrande, afirmou em coletiva online, nesta quarta-feira (14/07), que "este ano será dividido em dois semestres com conotações diferentes. No primeiro semestre houve uma recuperação mínima do que foi o ano passado. Para se ter uma ideia, o CIIE fazia em torno de 30 mil contratos por mês e, em abril do ano passado, caímos para 4 mil contratos. Então esse primeiro semestre tirou a discrepância enorme que um ambiente de pandemia traz", comentou.

No País

O desempenho no País em relação aos estágios revelou um aumento de 2,1% nas vagas ofertadas no primeiro semestre de 2021 frente a igual período do ano passado. Em números absolutos, os primeiros seis meses de 2020 tiveram oferta de 106.069 vagas, enquanto em igual período deste ano o número atingiu 108.335, aponta o CIEE.

Enquanto isso, as vagas para os programas de aprendizagem, saíram de 85.513 no primeiro semestre de 2020 para atingir 108.335 em igual período deste ano, uma expansão de 26,7%.