Desafios no empreendedorismo feminino

img1
Mônica Gomes e Vládia Gonçalves são mães e empresárias que iniciaram um negócio juntas, durante a pandemia. Quinta-feira (20), às 17h, a live “Mãe e empreendedora de sucesso” aborda os detalhes dessa trajetória

A dupla jornada faz parte do dia a dia das mães brasileiras. Conciliar trabalho e maternidade é quase uma arte. Mas, afinal, qual o impacto da pandemia na vida das mamães empreendedoras? 

A especialista em marcas e patentes, Vládia Gonçalves e a empresária Mônica Gomes uniram forças e em meio à crise sanitária criaram uma empresa que atua na fabricação de pré-moldados. Nesta quinta-feira, dia 20 de maio, às 17h, ambas compartilharão com outras mães e trabalhadoras, como conseguiram inovar e criar um empreendimento, apesar do contexto atual.

Segundo Mônica Gomes, o momento é válido para alinhar boas ideias e estratégias na busca por novas oportunidades e até mesmo carreiras. “Eu já trabalhava com fabricação e venda de peças e acessórios para carros off-road, incluindo a parte de oficina mecânica. 

Após conhecer a Vládia, que é sobrinha do meu esposo, trocamos ideias, criamos um produto inovador para o mercado e decidimos investir na fabricação de pré-moldados. Estamos unindo forças e conhecimentos de cada uma, eu faço a parte de produção e a Vládia faz a parte comercial”, explica Mônica Gomes.

Antes de iniciar um negócio, no entanto, é fundamental que se faça um estudo de mercado, para entender a viabilidade de implantar a ideia, tratando de certas questões que permitem que o risco do investimento seja controlado, preferencialmente que seja uma oportunidade de mercado e que tenha conexão com o propósito da pessoa. Vládia Gonçalves afirma que conciliar a maternidade e o trabalho requer resiliência.

 “Pois precisamos ter "jogo de cintura" com as situações de desafios. No empreendedorismo, vejo que tenho mais flexibilidade para administrar as duas áreas da minha vida: os negócios e a maternidade. Também conto com uma rede de apoio importante, como minha secretária, o motorista, nossa babá, que fazem com que a maternidade aconteça de forma mais tranquila”, reforça Vládia.

Chefes de família

O levantamento ‘Estatísticas de Gênero: Indicadores Sociais das Mulheres no Brasil’, realizado pelo IBGE, constatou que, no ano passado, somente 54,6% das mulheres entre 25 e 49 anos que têm filhos estavam trabalhando – por outro lado, a porcentagem de homens na mesma situação sobe para 89,2%. Ao pensar em mulheres mães negras e pardas, a ocupação é ainda menor, de apenas 49,7%. 

Apesar de muita gente ter se adaptado ao esquema remoto de trabalho, dados da plataforma Workana, responsável por conectar freelancers a empresas da América Latina, mostram que a desigualdade de gênero também ficou em evidência no home office: segundo o relatório de 2020 da empresa, 48,3% das mulheres em regime CLT estavam também cuidando dos filhos em casa, enquanto apenas 11,1% dos homens exerciam as mesmas funções.

Serviço

Live “Mãe e empreendedora de sucesso”
Quinta-feira, 20 de maio, às 17h
No Instagram @grupovladiagoncalves