Recursos para animar a economia: 13º injeta R$ 5,7 bi no CE

trabalho
A média de valores paga por pessoa no Ceará é estimada em R$ 1.840,78, mas a participação do Estado no bolo do 13º no País é pequena, de apenas 2,23% 

Em um momento em que a economia necessita de ânimo, o ingresso do 13º salário nas contas dos trabalhadores é mais que um alívio e representa um impulso no mercado.

A economia cearense deverá receber, até o fim de 2021, a título de 13° salário, cerca de R$ 5,7 bilhões, aproximadamente 2,23% do total do Brasil e 16,8% da região Nordeste. Esse montante representa em torno de 3,0% do PIB estadual. A média de valores por pessoa é estimada em R$ 1.840,78

No País

Em todo o Brasil, o pagamento do 13o salário tem o potencial de injetar na economia cerca de R$ 232,6 bilhões. Este montante representa aproximadamente 2,7% do PIB nacional e será pago aos trabalhadores do mercado formal, inclusive aos empregados domésticos; aos beneficiários da Previdência Social e aposentados e beneficiários de pensão da União e dos estados e municípios.

Cerca de 83 milhões de brasileiros serão beneficiados com rendimento adicional, em média, de R$ 2.539. As estimativas são do Dieese – Departament oIntersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos.

Mercado formal

Os dados constituem projeção do volume total de 13o salário que entrará na economia ao longo do ano, e não necessariamente nos dois últimos meses de 2021. Entretanto, o princípio é que a maior parte do valor referente ao 13o, notadamente para os trabalhadores ativos, seja paga no fim do ano. Dos cerca de 83 milhões de brasileiros que devem ser beneficiados com o pagamento do 13o salário, 51 milhões, ou 61% do total, são trabalhadores no mercado formal, entre eles, os empregados domésticos com carteira de trabalho assinada, que somam 1,3 milhão, equivalendo a 1,6% do conjunto de beneficiários.

Os aposentados ou pensionistas da Previdência Social (INSS) correspondem a 32,3 milhões, ou 38,7% do total. Além desses, aproximadamente 1 milhão de pessoas (ou 1,3% do total) são aposentadas e beneficiárias de pensão da União (Regime Próprio). Há ainda um grupo constituído por aposentados e pensionistas dos estados e municípios (regimes próprios) que vai receber o 13o e que não pode ser quantificado.

Do montante a ser pago como 13o, aproximadamente R$ 155,6 bilhões, ou 66,9% do total, irão para os empregados formais, incluindo os trabalhadores domésticos. Outros 33,1% dos R$ 233 bilhões, ou seja, cerca de R$ 77 bilhões, serão pagos aos aposentados e pensionistas. Considerando apenas os beneficiários do INSS, são 31,3 milhões de pessoas, que receberão R$ 45,4 bilhões. Aos aposentados e pensionistas da União serão destinados R$ 11 bilhões (4,7%); aos aposentados e pensionistas dos Estados, R$ 15,8 bilhões (6,8%); e aos aposentados e pensionistas dos regimes próprios dos municípios, R$ 4,7 bilhões.

Cálculo

Para o cálculo do pagamento do 13o salário em 2021, foram reunidos dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), ambos do Ministério do Trabalho e Previdência. Também foram consideradas informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), da Previdência Social e da Secretaria do Tesouro Nacional (STN).