59,6% planejam presentear mães na Capital; giro de R$ 346 mi

maes
Os shopping centers e os centros comerciais são os locais de compra mais citados, com 64,7% das intenções. Varejo de perfumaria e cosméticos deve receber mais clientes

O Dia das Mães deverá levar 59,6% dos consumidores fortalezenses às compras. A expectativa de faturamento para o varejo local é de R$ 346 milhões.

Os setores de perfumaria/cosméticos, vestuário/acessórios e calçados serão os que mais deverão receber clientes. Destaca-se que 31,7% dos entrevistados afirmaram que não irão as compras e 8,7% ainda não se definiram.

Os números são da pesquisa sobre o Potencial de Consumo do Fortalezense para o Dia das Mães, realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Ceará (Fecomércio-CE), através do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC).

Alimentação fora de casa

Com a liberação do uso de máscaras e o arrefecimento da pandemia, o levantamento aponta forte disposição do consumidor para as comemorações,
com 62,1% dos entrevistados revelando essa intenção, com impacto nos serviços de alimentação fora do lar.

Ticket médio

O gasto médio previsto é de R$ 331, sendo que a maior disposição para gastar foi declarada pelos homens (R$ 403) e por pessoas com renda familiar mensal superior a seis salários-mínimos (R$ 635). Com relação à forma de pagamento, percebe-se a preponderância do pagamento à vista (com dinheiro ou cartão de débito), citado por 54,3% dos entrevistados, e uso do cartão de crédito, em 45,3% dos casos.

Locais de Compra

Os shopping centers e centros comerciais são os locais de compra mais citados, por 64,7% dos entrevistados, seguido das lojas de ruas (20,5%) e do comércio informal (13,6%). Nesse tópico, destaca-se a evolução do comércio digital, com 9,5% dos consumidores mostrando preferência por esse canal – principalmente o consumidor com nível de escolaridade superior (12,8% desse grupo) e renda superior aos seis salários-mínimos (24,3% desse estrato).

Produtos

A pesquisa mostra a preferência do consumidor pelos bens de consumo semiduráveis, com claro destaque para os itens de uso pessoal, como perfumaria, cosméticos, vestuário e calçados, onde se concentra 80,9% da intenção de compra. Na liderança da intenção de consumo, os itens de perfumaria e cosméticos foram citados por 37,5% dos entrevistados, com preponderância do consumidor feminino (44,5% de intenção de consumo), do grupo com até 20 anos de idade (42,4%) e do estrato com renda familiar de até três salários-mínimos mensais (38,9%).

Os artigos e acessórios de vestuário foram citados por 33,0% dos consumidores, com preferência declarada pelos homens (33,7%), do grupo com idade entre 21 e 35 anos (36,1) e da classe com renda familiar entre três e seis salários-mínimos (44,0%). Na terceira posição da lista dos produtos mais procurados, calçados, cintos e bolsas tiveram 10,4% de citação.