Mães: 51,7% vão presentear em Fortaleza; giro de R$ 370 mi no CE

roupa
O vestuário e acessórios é a categoria de presentes mais buscada pelos consumidores para o Dia das Mães. A projeção é que o Ceará tenha o segundo maior faturamento nas vendas para o período no Nordeste Foto: Freepik

As mães são motivo de muito agradecimento e amor que é também expresso na forma de presentes. A despeito das dificuldades, 51,7% dos fortalezenses pretendem ir às compras para fazer essa homenagem. Se a projeção se concretizar, a data vai dar algum fôlego ao varejo, em meio à pandemia e seus efeitos, e movimentará R$ 370 milhões no Ceará. 

2º em vendas do NE

A previsão de resultado financeiro no Estado representa o segundo melhor do Nordeste, perdendo apenas para a Bahia, com R$ 470 milhões. Os números são de levantamentos da Fecomércio-CE, através do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC), e da Confederação Nacional do Comércio (CNC). 

Há um percentual de consumidores fortalezenses, de 26%, que não definiram se farão alguma compra e, pelo menos parte desse contingente, pode vir a se decidir pela aquisição de presentes. No grupo que não pretende comprar aparecem 22,3% dos entrevistados da pesquisa da Fecomércio-CE. Foram captadas na amostragem online respostas de 585 fortalezenses com idade igual ou acima de 18 anos. O levantamento tem um nível de confiança de 95%.

Produtos mais buscados

Muitos setores conseguem faturar com a data, mas alguns certamente terão melhor desempenho. Na Capital cearense, o ramo de Vestuário e Acessórios responderá pela maior fatia das vendas (38,5%). Em seguida, aparecem Perfumaria e Cosméticos (30%); Chocolates, Bombons e Trufas (19,6%); Flores (14,6%); Sapatos, Calçados, Cintos e Bolsas (12,3%). Os Celulares, Smartphones e Tablets figuram com 8,1% da pretensão de compra.

Gasto menor

Com o bolso mais apertado, a maioria dos que decidiram ir às compras, gastando com presentes ou confraternização irá desembolsar entre R$ 51 e R$ 100 (31,1%). O maior desembolso mencionado supera os R$ 400, para 19,5%. Até R$ 50 será o gasto máximo pretendido no caso de 18,8%. Em 2021, o ticket médio considerando todas as faixas de gastos será de R$ 246. Em 2019, este valor chegou a R$ 258. Portanto, haverá menos consumidores dispostos a comprar e também gastando menos neste ano.

Cartão lidera no pagamento

O cartão de crédito prevalece como principal modalidade de pagamento nas compras no Dia das Mães para 67,9% dos que irão adquirir algum produto. Mas parte significativa prefere pagar à vista no débito (27%) ou com dinheiro vivo (17%). O crediário/carnê resiste com 0,7% e 0,4% ainda utilizarão o cheque pré-datado.

Vendas em todos os canais

O apelo às compras promovido pelos shoppings, garantindo maior conforto, segurança e facilidades, inclusive no ambiente digital, se mostra mais efetivo na escolha de onde comprar. Esses estabelecimentos lideram com 58,3% das intenções. As lojas de ruas, bairros e galerias figuram em seguida (22%) e a internet já aparece com força com 19,3%, ganhando inclusive dos supermercados e hipermercados (13,3%). O comércio informal no Centro/camelôs surge com 3,1% das opções.

Lojistas e o desafio

Encontrar alternativas para conquistar o cliente é o principal desafio neste momento. Seja no ambiente físico ou digital, o momento é de lançar mão de criatividade para ser competitivo.

Mais de um presente

Embora predomine a intenção de adquirir um presente perfazendo 52,3%, há quem pretenda comprar dois (27,4%) , três (10,1%), quatro (2,7%) e até cinco ou mais (7,5%), como forma de homenagear não só a própria mãe, mas a sogra, outras familiares e amigas. É significativo o percentual de fortalezenses que pretende comemorar a data de alguma forma (60,4%). Por outro lado, há os que disseram que não sabem (19,9%) e 19,7% não pretendem celebrar.

Valor do gasto

Com o bolso mais apertado, a maioria dos que decidiram ir às compras, gastando com presentes ou confraternização irá desembolsar entre R$ 51 e R$ 100 (31,1%). O maior desembolso mencionado supera os R$ 400, para 19,5%. Até R$ 50 será o gasto máximo pretendido no caso de 18,8%.

Em 2021, o ticket médio considerando todas as faixas de gastos será de R$ 246. Em 2019, este valor chegou a R$ 258. Portanto, haverá menos consumidores dispostos a comprar e também gastando menos neste ano.

Promoções em destaque

A estratégia do lojista pode ser a diferença na decisão de compra. As promoções comprovadamente alavancam as vendas e são elas, para 53,9%, que devem puxar e influenciar a escolha de onde gastar nesta data comemorativa. Também decisivos, os preços competitivos definem a aquisição para 46,7%. E, em terceiro lugar, a qualidade tem maior peso (42,7%).

A recepção dos vendedores é fundamental para 27,1% dos fortalezenses. Outros 26,8% já saem de casa com o estabelecimento onde irão comprar definido. Também chamam atenção da clientela a variedade de produtos (19,5%), vitrines bem cuidadas (13%) e a aparência dos vendedores, que é levada em conta por 4,9% dos consumidores.