Startup Delfos capta mais R$ 5 milhões em investimentos

delfos
Guilherme Studart, CEO da Delfos: meta é "expandir nossa solução para diversos players em cada vertical que trabalhamos"

A startup Delfos captou R$ 5 milhões em uma nova rodada de investimento. O aporte foi realizado pela DOMO Invest, líder do round; pela EDP Ventures, veículo de investimento de capital de risco do Grupo EDP, além de BMG Uptech e Bossa Nova.

Este é o segundo aporte da EDP na startup, que desenvolveu um software para otimização de performance e redução de riscos operacionais com base em inteligência artificial para ativos de energia renovável como usinas eólicas, fotovoltaicas e hidrelétricas. 

Contratos

Em apenas cinco anos de trajetória, a Delfos construiu uma história sólida e rápida de sucesso. Atualmente, ela possui contratos de operação com a EDP no Brasil e com outros players do setor de energia no País, e encerrou 2020 com projetos e contratos que alcançam 3 GW (gigawatts) em ativos.

Sucesso

“Até agora focamos na tecnologia e em construir cases de sucesso com clientes que têm nome e respaldo no mercado. A partir do investimento que recebemos, o principal objetivo passa a ser executar o roadmap de desenvolvimento de produto, voltado para atender as demandas do mercado para uma economia de baixo carbono e estruturar a máquina de vendas para executarmos o nosso crescimento projetado. Com o apoio estratégico da EDP e a visão que a DOMO tem de como transformar nossa tecnologia em algo que a gente consiga fazer crescer mais comercialmente esperamos expandir nossa solução para diversos players em cada vertical que trabalhamos”, afirma Guilherme Studart, CEO da Delfos.

Transformação

Sobre o investimento, Rosario Cannata, gestor de investimentos da EDP Ventures Brasil, e Marcello Gonçalves, sócio da DOMO Invest, afirmam estarem animados com a rodada e projetam um grande futuro para a startup em meio à grande transformação na indústria de energia ao longo dos próximos anos.

“Estamos muito animados com essa nova rodada de investimento na Delfos. Temos uma relação antiga com a startup, que foi o nosso primeiro investimento no Brasil e a primeira do portfólio na qual fazemos um follow on. Este segundo aporte reforça o nosso compromisso de longo prazo com startups que tenham relevância estratégica para o Grupo EDP, além de refletir a assertividade na escolha da empresa, que conseguiu desenvolver uma tecnologia de ponta e hoje se destaca no mercado, atraindo investidores do calibre da DOMO”, ressalta Rosario Cannata.

“Existe um enorme potencial nesse mercado. O mundo está passando por uma transformação energética e de operação e manutenção dos ativos. Cada vez temos mais sensores instalados nos equipamentos e precisamos extrair informações desses dados de forma escalável para aumentar a segurança operacional e rentabilidade das operações industriais e de geração de energia. A digitalização da indústria de energia está só começando e o time Delfos tem muito ainda para explorar”, afirma Marcello Gonçalves.

Trajetória

A história da Delfos começou em 2016, quando a startup venceu o prêmio EDP Open Innovation, programa global de aceleração da EDP na época. A vitória rendeu 50 mil euros de premiação, além da mentoria com o grupo EDP. No início de 2018, a Delfos desenvolveu um projeto-piloto com a EDP Renováveis em um complexo eólico na Bélgica. O processo de previsão de falhas, testado em 11 turbinas, aumentou sua capacidade de análise e melhorou a habilidade de tratar dados, gerando modelos mais assertivos e painéis de análise aprimorados para o complexo belga.