Brasil registra 2,6 mi de tentativas de fraude no 1º semestre

img1
As tentativas equivalem a R$ 2,6 bilhões em perdas. Os segmentos de e-commerce, vendas diretas, telecomunicações e mercado financeiro sofreram mais ataques Foto: Freepik

Na linha do aumento na digitalização no hábito de consumo dos brasileiros, os segmentos de e-commerce, vendas diretas, telecomunicações e mercado financeiro sofreram mais tentativas de fraudes no primeiro semestre de 2021. Foram, nos seis primeiros meses do ano, 2,6 milhões de transações potencialmente fraudulentas.

Cartões

Para traçar este mapeamento completo deste panorama, a empresa analisou mais de mais de 182 milhões transações, considerando apenas pagamentos via cartão de crédito. Os dados são do Mapa da Fraude, divulgado nesta quarta-feira (21) pela ClearSale, referência em soluções antifraudes.

Volume em alta

Em reais, foram R$ 2,6 bilhões em fraudes tentadas no primeiro semestre, sendo a maior parte delas no comércio virtual, onde os fraudadores atuaram com força depois que a maior parte das pessoas entrou em isolamento social em 2020 e passou a fazer mais compras pela internet.

Celulares são principal alvo

A categoria de produto mais fraudado segue sendo a dos celulares, respondendo por 5,1% das tentativas de fraude, seguido por produtos eletrônicos (4,9%) e games (4,2%).

“O aparelho celular tem valor líquido muito grande no mercado secundário, podendo ser facilmente revendido para gerar lucro rápido. Por isso ele costuma liderar a lista de produtos com mais tentativas de fraude”, explica o diretor de marketing e soluções da ClearSale, Omar Jarouche.

Regiões

A região Norte, assim como em todo ano passado, segue com o maior índice de tentativas de fraude sobre a quantidade total de transações: no primeiro semestre, 4,3% dos pedidos na região foram alvo de ataques. Na sequência, aparecem Centro-Oeste com 2,4% e Nordeste com 2,3% e, por fim, Sudeste e Sul completam com 1,9% e 0,9%, respectivamente.

Outros mercados

A expertise da ClearSale também possibilita enxergar o cenário de fraudes na análise de transações em setores como mercado financeiro, telecom e vendas direta.

No mercado financeiro, isto é, nas transações relativas a bancos, financeiras, fintechs e administradoras de cartões de crédito, foram analisadas quase de 21 milhões de propostas e as tentativas de fraude chegaram a 667 mil. Ou seja, 3,2% de todas as transações nesse setor foram golpes tentados em processos como abertura de contas, emissão de cartões, empréstimo pessoal e CDC por meios digitais.

Telecomunicações

O setor de telecomunicações também foi analisado. Nele, a ClearSale revisou mais de 8,5 milhões de propostas e contratos no primeiro semestre e verificou 463 mil tentativas de fraudes, ou seja, 5,4% do total. Entre os golpes nessa área, destacam-se o uso indevido de dados, desvio de equipamentos, venda indevida de produtos ou serviços, redução indevida de fatura e upsell de serviços não contratados, entre outros.

Por fim, quando o assunto são vendas diretas, ou vendas porta a porta, foi possível analisar 1,5 milhões de transações e atestar 31 mil tentativas de fraudes, ou seja, 2,1% dos pedidos. Nesse segmento, os principais tipos de fraude são cadastro indevido de novos consultores, realização de pedidos falsos e uso indevido de dados de terceiros.