CSP trata e recicla 98,18% da água usada em sua operação

csp
A siderúrgica em solo cearense é uma das únicas do País a limpar os gases de Aciaria sem consumo de água 

A Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) tem sido destaque nacional e internacional no aspecto de sustentabilidade ambiental, com processos modernos e em permanente melhoria. Um desses destaques é ser uma das únicas siderúrgicas do Brasil a limpar os gases de Aciaria a seco, ou seja, sem a utilização de água.  

“A Aciaria gera um gás, durante o sopro de oxigênio no convertedor, chamado LDG.

Gás tratado

Esse gás é captado durante o processo, passa por um sistema de lavagem a seco, efetuando seu resfriamento e limpeza. Após o tratamento desse gás, ele será utilizado para geração de energia, já que a CSP gera toda energia que consome e vende o restante ao Sistema Interligado Nacional (SIN). O sistema de limpeza a seco do gás promove redução do consumo de água e elimina a geração de lama de Aciaria”, destaca Marcelo Baltazar, gerente de Meio Ambiente da CSP.  

A média de 2020 da CSP para o consumo de água por toneladas de aço bruto foi de 4,5 m³/tab (toneladas de aço bruto). Esse consumo está 29% abaixo dos valores de referência das outras siderúrgicas nacionais, de 5,8m³/tab, segundo o Instituto Aço Brasil.  

Recirculação 

De toda a água que a CSP precisa para operar e produzir placas de aço, 98,18% é recirculada nos processos da usina. “Esse volume de água nem entra e nem sai da CSP, porque ela fica sempre recebendo tratamentos e recirculando dentro da siderúrgica”, destaca o coordenador de Meio Ambiente da CSP, Leonardo Veloso. Os demais 1,82% de água que não são reaproveitados na produção do aço, retornam para a natureza por meio da evaporação ou são utilizados em atividades de limpeza. A água da chuva também é coletada pela CSP e distribuída nas pilhas do Pátio de Matérias-Primas, evitando o arraste de material particulado para o meio ambiente.