Produtos de limpeza de empresas locais ganham mercado

sindquimica
O presidente do Sindquímica-CE, Paulo Gurgel, empresário do setor, com o Grupo Alyne Cosméticos, comemora expansão no consumo de produtos de limpeza pessoal e doméstica

A pandemia do Coronavírus trouxe mudanças significativas no comportamento de compra dos consumidores. Uma pesquisa de 2020, realizada pela Kantar, mostra como as marcas locais cresceram na preferência do consumidor e passaram a ser compradas com mais frequência.

Categoria em alta

A categoria representa mais de 65% do mercado em valor. Além disso, a pesquisa também mostra que diante da crise econômica, o brasileiro aumentou os cuidados com a higiene e a limpeza e os gastos com produtos das cestas de cuidados com o lar avançaram cerca de 11%, enquanto a cesta de cuidados pessoais registrou um aumento de 5%.

Também mudou o sentimento de pertença a um bairro, cidade ou estado, que tem feito muitos consumidores escolherem empresas locais na hora da compra. Paralelo a isso, campanhas de apoio aos pequenos empresários e as marcas regionais fez crescer a busca por produtos fabricados localmente.

Cosméticos e saneantes

É o caso dos setores de cosméticos e saneantes. Os indicadores de confiança do setor químico para os próximos seis meses em relação a abril do ano passado estão todos superiores (demanda, emprego, investimento, exportação, compras), segundo dados da CNI. Os números otimistas comprovam o ótimo desempenho do setor no estado, que ganhou destaque na apresentação do economista Ricardo Amorim, no último dia 5, durante evento online realizado pela Fiec.
 
O especialista compartilhou dados industriais que vem puxando a produção física setorial em 2021, com acumulados positivos em alguns setores, ficando os produtos químicos (52.8%) em primeiro lugar.

Opção pelo produto local

O presidente do Sindquímica-CE, Paulo Gurgel, que também é empresário do setor, com o Grupo Alyne Cosméticos, comemora o resultado e atribui a dois fatores, em especial: o maior consumo de produtos de limpeza pessoal e doméstica, uma vez que houve uma maior preocupação com a questão da higiene das mãos, dos alimentos e das próprias casas na pandemia.

Além disso, Gurgel explica que os cearenses estão optando mais por produtos locais. “Quando o consumidor se abre para testar o produto 'da terra', ele se surpreende positivamente e passa a ser um consumidor fiel, pois entende que a qualidade pode caminhar junto da economia”, explica Paulo.

Para o empresário Luiz Deusdará, da marca cearense de produtos de limpeza doméstica Unolar, o cenário da pandemia, além de ter intensificado hábitos de higiene, modificou o consumo do mercado interno, que passou a abraçar os produtos produzidos localmente pela qualidade e preços acessíveis.

Segundo o empresário, o aumento nos custos de logística e de frete dos produtos vindos de fora tiveram impacto na gôndola, fazendo com que muitos consumidores olhassem para as marcas locais, que não tiveram que aumentar seus preços, já que a logística de entrega e distribuição não sofreu grandes alterações. Com isso, puderam experimentar e comprovar o custo-benefício dos produtos locais.