91% das parcelas de consórcios foram pagas em dia em dez/20

consorcio
Mesmo aqueles que ainda não foram contemplados, certamente fizeram o consórcio com o objetivo de ter a carta de crédito na mão, o que impulsiona a pontualidade Foto: Freepik

O consórcio é a modalidade de financiamento com a maior pontualidade entre os brasileiros – exceto consignado, cujo valor contratado é descontado diretamente em conta.

Os dados levantados em novembro/20 mostram que as parcelas são pagas em dia em 91% dos casos, com destaque para aqueles com mais de 60 anos. O estudo inédito é da Serasa Experian e tem como base os dados do Cadastro Positivo.

Objetivo

“Quando falamos de consórcio, estamos analisando, em muitos casos, os cotistas contemplados, que já retiraram o bem. Como envolve algo de valor relativamente alto, há o receio de atrasar as parcelas e acabar perdendo o carro, moto ou imóvel adquirido, por exemplo. Mesmo aqueles que ainda não foram contemplados, certamente fizeram o consórcio com o objetivo de ter a carta de crédito na mão, por isso, o pagamento acaba se tornando uma prioridade no orçamento de quem optou por esta modalidade de financiamento”, diz o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi.

Na análise apenas do Consórcio, ficam acima da média os jovens até 35 anos (16,3%), faixa etária com menor pontualidade nos pagamentos, conforme indicado na tabela acima. Entre 36 e 50 anos, o comprometimento da renda é de 11,8% e depois cai, indo para 9,8% para aqueles de 51 a 60 anos e 9,4% entre os que tem mais de 60 anos.

Opção para a baixa renda

Ainda que aqueles com renda de mais de R$ 10 mil tenham maior penetração nos consórcios (6,8%), os de menores rendimentos são que possuem a maior pontualidade nos pagamentos. Se considerarmos a renda de até R$ 2 mil, a pontualidade é de 92,1%, ante 91,7% da renda acima de R$ 10 mil. A pontualidade da média geral é de 91,0%.

Rabi explica que, muitas vezes, o consórcio é a única forma pela qual a população com baixa renda consegue ter acesso a um financiamento de alto valor, o que acaba impactando também a distribuição geográfica. A região Norte, que reúne a maior parte da população com rendimentos menores, registra maior penetração frente às demais (3,6%), com pontualidade de 94,9%, acima da média nacional.