Varejo pleiteia ampliar horário das lojas a partir de 28/6

loja
A Fecomércio solicita que o comércio de rua passe a funcionar a partir das 8h, os shopping centers das 10 às 22h e os bares e restaurantes até as 23h, o que ocorreria a partir do próximo decreto, caso o governo acate Foto: Freepik

Entidades do varejo fizeram novo pleito ao governo estadual para ampliar o horário do comércio. Lideranças do setor participaram de reunião virtual com o governador Camilo Santana, nesta quinta-feira (24/6).

O presidente do Sistema Fecomércio Ceará, Luiz Gastão Bittencourt, enviou proposta ao Governo do Estado solicitando a ampliação no horário de funcionamento do comércio em geral.  

“O pedido dá sequência a um avanço necessário na retomada da economia no Ceará, e leva em consideração os resultados positivos e eficazes do Estado no combate ao enfrentamento da pandemia”, pontuou.

Fecomércio

Na proposta da Fecomércio, o comércio de rua passaria a funcionar a partir das 8h, os shopping centers das 10 às 22h e o funcionamento dos bares e restaurantes se estenderia até 23h, a partir do próximo decreto, caso o governo acate a demanda.

Avanço necessário

Segundo Luiz Gastão, o pedido se baseia no fato de que as medidas já adotadas pelo Governo do Estado precisam avançar. “O empresário do comércio investiu e se adequou a todas as exigências e protocolos. Agora com a vacina sendo disponibilizada em maior escala, precisamos continuar adotando medidas planejadas de prevenção e combate, mas também precisamos cuidar da manutenção dos empregos e renda. A crise econômica só tem uma vacinação: a normalização das atividades e horários.”

Data e horários

Pedido semelhante foi apresentado pelo presidente da CDL de Fortaleza, Assis Cavalcante. A proposta seria de aumento do horário de funcionamento na Capital cearense,  a partir do decreto governamental a partir da segunda-feira, dia 28.

Pela proposta da CDL o setor varejista, as lojas de rua em Fortaleza passariam a funcionar das 9h às 19h e as dos shopping centers de 10h às 22h, que é o horário normal dos estabelecimentos do comércio em Fortaleza.

Pelo decreto vigente, as lojas de rua estão funcionando atualmente das 10 às 19h e as dos shoppings de 12h às 22h. Ainda no caso dos centros de compras, a CDL solicita que a capacidade de funcionamento seja de 80%, percentual que vale para as vagas dos estacionamentos, hoje limitadas a 50%. 

Protocolos e argumentos

“Todos nós lojistas temos seguido os protocolos sanitários, como uso de EPIs, álcool em gel e higiene das lojas. Os nossos consumidores também têm sido conscientes com as medidas de prevenção ao coronavírus. Dividimos as responsabilidades com os governos municipal e estadual. Por isso, a CDL está pedindo o horário estendido do comércio, porque fazendo dessa forma o atendimento será diluído evitando aglomeração nas lojas de rua e dos shoppings”, explicou Assis Cavalcante. 

O empresário argumenta ainda que há mais dinheiro circulando na economia neste momento, o que consequentemente provoca um movimento maior de pessoas nas lojas. Portanto, o horário estendido seria uma forma de evitar aglomerações. 

Mais recursos circulando

De acordo com o líder classista, entre este mês de junho e o início de julho, mais de R$ 2,5 bilhões serão injetados na economia cearense, juntando o pagamento do décimo terceiro dos servidores e aposentados e a folha normal dos dois meses.

“As vendas de junho cresceram de 3% a 4% por causa da renda extra dos auxílios do governo e do pagamento adiantado do décimo terceiro de servidores e aposentados. Com a chegada das férias de julho e com os turistas que devem vim pra Fortaleza, é natural que tenhamos mais pessoas circulando na cidade e no próprio comércio. Isso é muito bom para a economia e precisamos nos organizar pra recebermos com segurança os nossos consumidores sejam os cearenses ou turistas”, conclui.