Cesta básica de Fortaleza já inicia ano com alta de 4,89%

inflacao
Dez produtos básicos tiveram aumento de preços, dentre eles, destacam-se: o tomate (22,80%), o café (4,24%) e a banana (3,81%)

O ano começou já com elevação de preços nos produtos básicos que vão à mesa, seguindo o ritmo de inflação acelerada. A alta na cesta básica na Região Metropolitana de Fortaleza, só em janeiro, já foi de 4,89%, enquanto a inflação projetada para todo o ano de 2022 é de 5,44%.

A Capital cearense aparece como sempre entre as campeãs de alta de preços. A variação é a quarta maior do País, ficando atrás de Brasília (6,36%), Aracaju (6,23%) e João Pessoa (5,45%). No Nordeste, a Capital cearense anota a terceira maior variação de preços.

10 entre 12 subiram

A alta nos preços de dez dos 12 produtos da cesta básica fez com que um trabalhador, para adquirir os produtos, respeitadas as quantidades definidas para a composição da cesta, tivesse que desembolsar R$ 607,35.

Considerando o valor e, tomando como base o salário mínimo vigente no País de R$ 1.212,00 (valor correspondente a uma jornada mensal de trabalho de 220 horas), pode-se dizer que o trabalhador teve que despender 110h e 15 minutos de sua jornada de trabalho mensal para essa finalidade.

Vilões do seu bolso

O gasto com alimentação de uma família padrão (2 adultos e 2 crianças) foi de R$ 1.822,05. Percebe-se que a inflação nos preços da cesta básica foi influenciada pela alta de dez produtos da cesta, dentre eles, destacam-se: o tomate (22,80%), o café (4,24%) e a banana (3,81%). Somente dois produtos registraram uma baixa no preço, são eles: o arroz (-0,79%) e o leite (-0,39%).

No semestre e 12 meses

Observando as variações semestral e anual da Cesta Básica em Fortaleza, verifica-se que foram de 7,91% e 13,96%, respectivamente. Isto significa que a alimentação básica em janeiro de 2022 (R$ 607,35) está mais cara do que em julho de 2021 (R$ 562,82) e mais cara do que em janeiro de 2021 (R$ 532,97).

No semestre, dos produtos que compõem a Cesta Básica, três itens apresentaram reduções nos preços, são eles: o arroz (-7,62%), o feijão (-4,24%) e a carne (-1,49%). Já os itens que apresentaram as maiores elevações foram: o tomate (46,18%), o café (43,78%) e o açúcar (12,67%).

Na série de 12 meses, dos produtos que compõem a Cesta Básica, os únicos itens a apresentar redução no preço foram o arroz (-15,28%), a banana (-11,64%) e o feijão (-4,62%). Os itens que apresentaram as maiores elevações nos seus preços foram: o tomate (75,47%), o café (75,32%) e o açúcar (32,36%).