CE assina 11º acordo para projeto de produção de H2

img1
O protocolo, que prevê investimentos de US$ 2 bilhões de dólares nos próximos anos, foi firmado com o consórcio Transhydrogen Alliance, formado pelas empresas Proton Ventures, Trammo, Global Energy Storage e VARO  

Caso todos os projetos relativos a H2 se concretizem no Ceará, o Estado tem um passaporte assegurado para o futuro. O governador Camilo Santana assinou nesta quarta-feira (27), em Roterdã, na Holanda, o 11º memorando de entendimento para produção de hidrogênio verde, no Complexo do Pecém. 

Investimento de US$ 2 bi

O protocolo, que prevê investimentos de US$ 2 bilhões nos próximos anos, foi firmado com o consórcio Transhydrogen Alliance, formado pelas empresas Proton Ventures, Trammo, Global Energy Storage e VARO.

Produção prevista

O objetivo do projeto é produzir pelo menos 500.000 toneladas de hidrogênio verde por ano, que equivalem a cerca de 2,5 milhões de toneladas de amônia verde, e exportar para a Europa pelos portos do Pecém e de Roterdã, que são parceiros comerciais.

"Esse é um momento muito importante da nossa missão aqui na Europa. Cada uma dessas empresas tem expertise em uma determinada área (produção de H2V e amônia verde, logística, armazenamento, transporte). A partir de agora serão iniciadas as fases de estudo para implementação do projeto. O consórcio enxerga o Ceará com grande potencial para produção de energia sustentável”, disse o governador Camilo Santana, que estava acompanhado dos secretários da Casa Civil, Chagas Vieira; e do Desenvolvimento Econômico, Maia Júnior.

Solução verde

O presidente da Proton Ventures e do consórcio Transhydrogen Alliance, Hans Vrijenhoef, comemorou a assinatura do acordo de cooperação com o Estado. “Estou muito feliz de estar aqui assinando esse acordo com o Ceará. Eu realmente espero que tenhamos muito sucesso no projeto. Essa é uma fase muito importante na questão de colocar soluções de energia verde para o mundo inteiro”, afirmou Hans Vrijenhoef, que deverá visitar o estado em breve para conhecer e acompanhar a primeira fase do projeto.

“Esse é mais um passo que o Ceará dá na produção de Hidrogênio Verde. Sabemos do potencial enorme que o estado tem para viabilizar toda essa produção”, citou o secretário Maia Júnior.