Ceará gera 12,3 mil vagas de emprego em fevereiro; 2º do NE

emprego
Em fevereiro o Ceará estava mantendo uma trajetória de recuperação de vagas de emprego, foram admitidos 43.218 trabalhadores e demitidos 30.875. O País criou 401 mil postos de trabalho

A recuperação paulatina do emprego vinha ocorrendo no Ceará até fevereiro, quando o Estado gerou 12.343 vagas celetistas, um crescimento de 1,05% e o segundo maior gerador de vagas para o mês do Nordeste. Foram admitidos 43.218 trabalhadores e demitidos 30.875.

A Bahia liderou a criação de vagas com carteira assinada na Região, com 18.993 postos de trabalho, no segundo mês do ano e uma variação positiva de 1,11%.

Brasil

Os dados são do Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), que também apontou crescimento no emprego formal no País em fevereiro de 2021, registrando saldo de 401.639 postos de trabalho. Esse resultado decorreu de 1.694.604 admissões e de 1.292.965 desligamentos.

Estoque

O estoque, que é a quantidade total de vínculos celetistas ativos, em fevereiro de 2021 contabilizou 40.022.748 vínculos, o que representa uma variação de 1,01% em relação ao estoque do mês anterior. No acumulado do ano de 2021, foi registrado saldo de 659.780 empregos, decorrente de 3.269.417 admissões e de 2.609.637 desligamentos (com ajustes até fevereiro de 2021).

Em fevereiro/2021, os dados registraram saldo positivo no nível de emprego nos 5 (cinco) Grupamentos de Atividades Econômicas: Serviços (+173.547 postos), distribuído principalmente nas atividades de Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (+72.759 postos), Indústria geral (+93.621 postos), concentrado na Indústria de Transformação (+88.208 postos), Comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas (+68.051 postos), Construção (+43.469 postos) e Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (+23.055 postos).