64% pretendem comprar presentes no Dia dos Namorados

img1
Desemprego e redução da renda são os principais motivos para não comprar presentes entre os consumidores que decidiram não comemorar a data

Ano após ano, o Dia dos Namorados vem ganhando importância no calendário e se consolidando como uma das datas mais importantes para o comércio. Em 2021, 64% dos consumidores pretendem comprar presentes para o Dia dos Namorados, segundo uma pesquisa realizada pela Boa Vista, empresa que aplica inteligência analítica de ponta na transformação de informações para a tomada de decisões em concessão de crédito e negócios em geral. 

A pesquisa teve como objetivo identificar novos hábitos e perspectivas de compra dos consumidores brasileiros para a data, assim como diante do atual cenário econômico.

Dificuldades

Em contrapartida, 36% dos respondentes optaram por não comprar presentes. Entre os motivos, destacam-se o desemprego (26%) e a redução da renda (40%). Na sequência, a falta de costume em comprar presentes no período e o endividamento foram apontados por 20% e 14%, respectivamente.

Ticket médio
 
Com a crise econômica, os gastos tendem a não ser muito grandes. 58% dos respondentes que pretendem ir às compras gastarão, no máximo, R$ 200 com o presente – sendo que 32% deste universo gastarão até R$ 100 e 26% até R$ 200.

Apenas 18% dos consumidores pretendem chegar ao valor de R$ 400, enquanto 24% concordam em exceder esse valor e chegar até os R$ 800. Apenas 30% dos entrevistados que têm a intenção de comprar presentes afirmaram que pretendem investir mais nas compras do que em 2020. Outros 26% gastarão menos e 44% manterão o mesmo valor consumido nesta data no ano passado.

Apesar das restrições para evitar aglomerações, apenas 33% dos consumidores sinalizaram que farão as compras pela internet. 63% destes consumidores passaram a optar pelas compras online por conta da pandemia, enquanto outros 37% já tinham este hábito antes. Em relação a forma de pagamento dos presentes, pouco mais da metade – 53% – pretendem pagar à vista.

De olho no score

Para não sacrificar as finanças, 83% dos respondentes afirmam que é importante acompanhar a nota de score, assim como monitorar a evolução deste indicador para saber se possuem ou não condições de terem crédito na praça. “O controle financeiro tem sido fundamental para os consumidores que têm sentido os impactos da crise em sua renda. 

A nota de score, composta por informações do Cadastro Positivo e do Negativo, é uma ferramenta nesse sentido e vale ficar atento, ainda mais se a intenção for gastar mais do que de costume e o consumidor estiver pensando em buscar crédito”, explica Flávio Calife, economista da Boa Vista.

A pesquisa ainda revela que 44% dos consumidores disseram ter curiosidade em conhecer o score do parceiro ou da parceira, enquanto 54% entendem que saber a nota do parceiro ou da parceira ajuda com o planejamento financeiro da família ou casal. O score também é encarado como um possível indicador de compatibilidade entre os parceiros por 38% dos entrevistados.