Biometano é mais uma alternativa de energia limpa no CE

biometano
Experiência exitosa de distribuição de biometano pode contribuir para o desenvolvimento do Hub de Hidrogênio Verde, iniciativa capitaneada pelo Governo do Ceará

Diversificar a matriz energética pode elevar não apenas o nível de competitividade econômica do Estado do Ceará, mas também assegurar um futuro mais sustentável. Com esse propósito, a Companhia de Gás Natural do Ceará (Cegás) investe na distribuição de biometano (Gás Natural Renovável) para fortalecer o desenvolvimento regional, ao mesmo tempo que oferece uma alternativa de energia mais limpa aos cearenses.

Processo

O biometano deriva do processo de limpeza e purificação do biogás, uma fonte de energia renovável gerada a partir da decomposição da matéria orgânica proveniente de propriedades rurais, lodos de esgoto, lixo doméstico e afluentes industriais. O biometano, portanto, é um combustível limpo que pode ser utilizado para uso doméstico, industrial ou veicular, substituindo os combustíveis fósseis.

Projeto desde 2014

O presidente da Cegás, Hugo Figueirêdo, explica que a ideia do projeto de distribuição de biometano surgiu, ainda em 2014, quando a instituição recebeu uma demanda de empreendedores cearenses. Segundo ele, foi sugerido a utilização de resíduos sólidos do Aterro Sanitário Municipal Oeste de Caucaia (ASMOC), localizado na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

“Diante da proposta desse grupo de empreendedores, a Cegás começou a avaliar essa possibilidade e, no fim de 2014, assinou um contrato que garantia a aquisição de toda a produção de Gás Renovável produzida no Aterro Sanitário Municipal Oeste de Caucaia. Nesse sentido, foi dado início ao projeto, com a Cegás garantindo a compra. [O projeto] Já partiu com a produção toda vendida, dando segurança para o empreendedor avançar com o projeto”, conta.

Com o avanço das tratativas, iniciou-se, em 2017, a fase pré-operacional. Para isso, a Parceria Público-Privada entre Cegás, Prefeitura de Fortaleza e a Gás Natural Renovável Fortaleza, usina dos grupos Marquise Ambiental e Ecometano, viabilizou o Gasoduto, que tem 23 km, a Estação de Transferência e da Planta de Produção de GNR.

Os empreendimentos possibilitam a entrega do biogás para indústrias, veículos, comércio e residências da rede de clientes da Cegás. O projeto do Gasoduto está adequado à Política Nacional de Resíduos Sólidos, aprovada e sancionada em 2010, e à Política Estadual de Resíduos Sólidos do Ceará, de 2016.