Betânia e Embaré/Camponesa juntas com 9 fábricas e 13 CDs

embare
Megaconglomerado: unidas, as companhias possuem 3,6 mil colaboradores diretos, faturamento bruto de R$ 3,9 bilhões, nove fábricas e 13 centros de distribuição, além de laboratórios próprios e filiais

Um conglomerado do setor de laticínios surge com a fusão das empresas Betânia Lácteos S.A e Embaré Indústrias Alimentícias S.A. Juntas, elas combinam suas operações para buscar o protagonismo no setor lácteo do Brasil.

Capacidade expandida

Com maior capacidade de produção e distribuição, o novo grupo econômico, após a conclusão de todas as etapas regulatórias, irá totalizar 3,6 mil colaboradores diretos, faturamento bruto combinado de R$ 3,9 bilhões (últimos 12 meses), nove fábricas e 13 centros de distribuição, além de laboratórios próprios e filiais.

A capacidade de processamento passa a ser de 4,8 milhões de litros de leite por dia, fornecidos por mais de 6.500 famílias de produtores e 12 cooperativas. 

formalizaram na terça-feira (26/10) a intenção de combinar suas operações em uma associação que resultará em uma companhia com maior capacidade para competir no mercado brasileiro de lácteos. Para que seja concretizada, a associação ainda depende de análise e aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). 

Mix de 220 produtos

A associação entre as empresas vai totalizar 220 produtos das marcas Betânia, Bat Gut, Betânia Kids, Embaré e Camponesa, divididos entre leite uht, leite em pó, leite condensado, creme de leite, doce de leite, bebidas lácteas, iogurte, leite fermentado, manteiga, requeijão, queijos e caramelos, vendidos em mais de 100 mil pontos de venda no Brasil e em outros 45 países. 

 

A combinação das marcas Betânia e Embaré/Camponesa, que valorizam suas raízes e têm sólida credibilidade no setor, tem como principal objetivo a complementaridade de suas operações, e resultará em maior capacidade para atender à crescente demanda do mercado brasileiro e potencial de geração de renda para as famílias produtoras de leite, contribuindo para fomentar a sustentabilidade e o desenvolvimento da cadeia produtiva. 

Cade

Após a obtenção de aprovação pelo Cade, as empresas passarão a fazer parte de um novo grupo, que conduzirá o processo de integração de forma gradual, transparente e sem grandes mudanças estruturais, já que ambas manterão estruturas físicas e operacionais separadas e terão autonomia para determinar seus processos internos. 

“A operação une o que ambas as empresas têm de melhor - solidez financeira, robustez operacional e profundo conhecimento do setor de lácteos - para escalar a produção e entregar produtos de qualidade a todas as regiões do país de forma mais competitiva e eficiente”, afirma Bruno Silva, sócio do Arlon Latam, fundo de private equity que estruturou e participa diretamente da operação. “O novo grupo assumirá uma posição de protagonista no mercado nacional de lácteos, priorizando sempre o alto padrão de governança e em total consonância com os interesses da cadeia produtiva'', acrescenta Silva. 

Cadeia fortalecida

Segundo Bruno Girão, presidente da Betânia Lácteos e futuro CEO da nova empresa, além da maior capacidade de produção e distribuição, a operação ajudará a reforçar os vínculos e o potencial de geração de renda para as famílias produtoras de leite. “Nossa união deve contribuir para fomentar a sustentabilidade e o desenvolvimento da cadeia produtiva, priorizando sempre nossas raízes e as relações que criamos ao longo dos anos e que nos trouxeram até aqui”, afirma. 

Consumidor final

O CEO da Embaré, Alexandre Antunes, também destaca a importância da operação para o consumidor final. “Essa combinação vai fortalecer e nutrir, ainda mais, a relação de confiança com os nossos consumidores, com quem possuímos uma relação baseada na simplicidade e na transparência. O novo grupo terá um portfólio de produtos mais diversificado para atender todas as regiões do país com excelência e levar produtos inovadores e de qualidade às casas de milhares de famílias brasileiras. É assim que pretendemos nos tornar um dos maiores grupos lácteos do Brasil”, completa. 

Novo perfil

* Receita bruta consolidada (últimos 12 meses): R$ 3,9 bilhões 
* Capacidade produtiva: 4,8 milhões de litros de leite/dia 
* 9 fábricas, 13 centros de distribuição, 9 laboratórios próprios, 3 filiais, 4 brokers, 1 armazém geral e 2 cross dock 
* Portfólio consolidado de 220 produtos vendidos em mais de 100 mil pontos de venda no Brasil e em outros 45 países 
* Mais de 6,5 mil famílias produtoras de leite e 12 cooperativas em 221 municípios 
* Geração de 3,6 mil empregos diretos