Exportações do CE crescem 26,4% no trimestre: US$ 549,8 mi

portopecem
Com aumento de 10%, as exportações de São Gonçalo do Amarante correspondem a 42% do total vendido pelo Ceará e registraram o montante de US$ 225,8 milhões em exportações nos três primeiros meses de 2022  

As exportações cearenses ultrapassaram US$ 549,8 milhões (FOB), entre janeiro e março, o que corresponde a um crescimento de 26,4% colocando o Ceará na posição de 4º estado exportador do Nordeste e 16º do Brasil.

Os números são parte de estudo do Centro Internacional de Negócios (CIN), da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), com os números do primeiro trimestre do Ceará em Comex. 

Destaques

Com aumento de 10%, as exportações de São Gonçalo do Amarante correspondem a 42% do total vendido pelo Ceará e registraram o montante de US$ 225,8 milhões em exportações nos três primeiros meses de 2022. 

O resultado positivo se deu, principalmente, em consequência do aumento das vendas de produtos da indústria siderúrgica, considerando que o município engloba o polo siderúrgico do Estado, com a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), responsável pelos principais produtos da pauta exportadora cearense.

Sobral registrou crescimento de 25,4% nas exportações em consequência do aumento das vendas do setor calçadista para o exterior, realizando um valor de US$ 47,7 milhões em vendas.

Outro município em destaque neste trimestre foi Itaitinga, aparecendo na lista dos principais exportadores do Ceará, com registro do montante de quase US$ 30 milhões, em decorrência de uma operação de exportação “Outros aviões e outros veículos aéreos” com destino aos Estados Unidos.

Ainda sobre o primeiro trimestre das exportações do Ceará, os setores que mais cresceram foram Ferro e aço (9%), Calçados (45%) e Frutas (-15%).

Países destino

O Estado registrou US$ 142,3 milhões em exportações destinadas aos Estados Unidos, o que corresponde a uma redução de 38,1% nos primeiros meses de 2022. O país possui a maior representatividade no que se refere aos países de destino das exportações cearenses sendo responsável por comprar 26% do total vendido pelo Ceará para o exterior.

Em segundo lugar no ranking dos principais países de destino das exportações cearenses, o México importou o valor de US$ 74 milhões, seguido da Espanha que comprou US$ 43,3 milhões em insumos e da Alemanha, destaque no primeiro trimestre deste ano, com crescimento de 296,5% nas aquisições de produtos do Ceará, somando US$ 33,8 milhões.

No primeiro trimestre de 2022, o Ceará exportou para 111 países diferentes, o que corresponde a um aumento de 2,8% na variedade dos destinos de exportação do Estado.

Importações

Ainda segundo o documento, somando as operações de importação do primeiro trimestre deste ano, o Ceará registrou US$ 1,5 bilhões, valor 98% maior que o realizado no acumulado de 2021. O crescimento colocou o Ceará na posição de 3º estado exportador do Nordeste e 11º do Brasil.

Fortaleza foi o principal município importador do Ceará, correspondendo a 41% do total comprado pelo estado no exterior, em 2022. A Capital registrou US$ 607,7 milhões em aquisições de produtos no exterior, o que corresponde a um aumento de 178% se comparado com o mesmo período do ano anterior. Os produtos mais procurados pela capital cearense foram óleos de petróleo, trigo e díodos.

São Gonçalo do Amarante foi o segundo município da lista e representou 24% do total importado no ano. O município registrou US$ 360,5 milhões em compras do exterior, o que representa um crescimento de 135%. Os combustíveis foram os principais produtos procurados pelo município no exterior. Além destes, partes e peças automotivas, o manganês e produtos à base de ferro também foram demandados no mercado internacional.

Em terceiro lugar no ranking dos principais municípios importadores está Caucaia, que registra desempenho positivo de 118% nas importações, totalizando US$ 226 milhões, em especial diante da procura por produtos à base de ferro e aço, além de obras de pedra ou de outras matérias minerais.

O setor de “Combustíveis minerais, óleos minerais e produtos da sua destilação; matérias betuminosas; ceras minerais” prevalece como o principal setor procurado no exterior no primeiro trimestre de 2022, apresentando procura de US$ 754,6 milhões em importações, o que corresponde a um crescimento de 257%. Este aumento foi alavancado, em especial, pela procura por óleo diesel, principal produto do setor em destaque, que apresentou variação positiva de 1007%, se comparado ao mesmo período do ano anterior.