Bolsas desabam na China trazendo pânico aos mercados

corona
A epidemia de coronavírus terá impacto não só nos mercados financeiros, mas certamente no crescimento econômico, reverberando sobre as demais economias mundiais Foto: Freepik

Depois de o dólar fechar no Brasil na última sexta-feira (31) nas alturas, cotado a R$ 4,28, os mercados abrem em pânico lá fora com as bolsas chinesas despencando até 9% no primeiro dia de operações desde que fecharam diante da epidemia de coronavírus.

Mais de 2.500 ações caíra no limite diário de 10%. 
O novo vírus traz um alarme nos mercados, pois está se espalhando com velocidade e isso certamente impactará o crescimento econômico na China reverberando nos outros países.

Brasil

Na sexta-feira (31) o dia foi marcado por forte volatilidade no mercado financeiro, o dólar voltou a subir e fechou no maior valor nominal desde a criação do real. Foi a terceira sessão seguida de alta da moeda norte-americana, que encerrou janeiro com valorização de 6,8% em relação ao real. Essa foi a maior alta para meses de janeiro em dez anos. A divisa sobe há cinco semanas seguidas. O euro comercial também subiu e fechou o dia em R$ 4,753, alta de 1,5%. Nesta segunda-feira (3), no Brasil, a previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar está em R$ 4,10 para o fim deste ano e R$ 4,05 para 2021.