Crédito imobiliário terá correção pelo IPCA

caixa

O estímulo que o mercado imobiliário estava esperando para comercializar os estoques e retomar de vez o setor está vindo. A dúvida é se a população realmente vai acessar o novo crédito imobiliário com as regras que irão mudar. Na próxima terça-feira, o governo anunciará novas regras para o crédito imobiliário ofertado pelos bancos. O objetivo é reduzir os juros em até 31,5% nessa modalidade de crédito.

A concessão do financiamento da casa própria será corrigida pela inflação. Uma nova resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN) permite que novos financiamentos do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) tenham o saldo devedor atualizado por índices de preços.
A resolução foi aprovada na reunião extraordinária do CMN na manhã de quarta-feira (14), mas só foi divulgada pelo Banco Central (BC) nesta quinta-feira (15) no fim da noite.

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou no fim da noite que a Caixa Econômica Federal passará a conceder crédito imobiliário corrigido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) mais uma taxa de juros fixa.

Atualmente, o crédito habitacional é corrigido pela Taxa Referencial (TR), atualmente zerada, mais juros fixos que variam conforme o perfil do mutuário. Em julho do ano passado, o conselho havia autorizado a concessão de crédito corrigido pela inflação.

A partir da resolução do CMN, as operações do SFH, onde o tomador usa o saldo da conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para pagar as prestações e amortizar o saldo devedor também vão entrar na regra.

Riscos

O uso de indexador de inflação no financiamento só é positivo ao mutuário se a inflação estiver sob controle, portanto traz riscos. Atualmente, a taxa está dentro das metas estabelecidas pelo governo. Espera-se que essa situação não mude.