Chuvas ajudam a reduzir preços e fazer peixamento no Ceará

mamao
O mamão já registrou uma redução de mais de 46% no preço do quilo em janeiro, de acordo com a CeasaCE, que também aponta quedas em outros produtos Foto: Freepik

As chuvas no Ceará trazem a oportunidade de pagar menos para adquirir frutas e verduras. Depois da acerola e da manga, que apresentaram queda de 10% e 15%, respectivamente nos preços do quilo, agora outros itens que sempre estão à mesa do cearense estão tendo colheitas mais fartas e chegando mais em conta na Ceasa em Maracanaú. O mamão formosa está 46,2% mais barato, por conta da grande oferta no mercado. O comparativo é feito com base na terceira semana de dezembro de 2019 com a terceira semana de janeiro deste ano.

Este tipo de mamão está sendo comercializado por apenas R$ 0,70 o kg na Central de Abastecimento. Os principais municípios cearenses produtores da fruta são Guaiúba, Aracati, Limoeiro do Norte, Acaraú, Russas, Maranguape e Apuiarés, que, juntos, forneceram 1.226,2 toneladas da fruta à Ceasa em Maracanaú.

Também com preço em queda está o limão galego e tahiti (-16, 7%), que estão sendo comercializados entre R$ 2,50 a R$ 3,00 o kg. “Somente este mês, entrou 484,8 toneladas da fruta na Ceasa, vinda dos municípios de Limoeiro do Norte, Russas, Quixerê e outras regiões produtoras,” explica Odálio Girão, analista de mercado da Ceasa-CE. Preço também em queda para a melancia (-16,67%) saindo a R$ 1,00 o kg.

Entre as hortaliças, os preços que apresentaram queda mais acentuada foram da cebolinha e do coentro (-16,7%) e do chuchu (-7,69%), este último vindo dos municípios de Pacoti e Guaramiranga. Os dois primeiros produtos estão sendo comercializados a 0,50 a unidade e o chuchu a R$ 1,00 o kg. “Apesar das chuvas atrapalharem a colheita da cebolinha e do coentro, a estufa ajuda no plantio, garantindo, assim, as boas colheitas o ano todo, o que faz o preço cair,” destaca Odálio Girão.

Piscicultura

As chuvas também trazem a chance de ver a piscicultura ganhar força. A Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), por meio Coordenadoria de Desenvolvimento da Pesca e Aquicultura Familiar, está distribuindo alevinos para peixamento de açudes. Cerca de 100 mil alevinos do Projeto de Peixamento de açudes públicos nos municípios de Aracoiaba e Chorozinho foram repassados a produtores no dia 24 de janeiro.

Até março cerca de 30 mil pescadores artesanais serão beneficiados diretamente com o repovoamento dos açudes totalizando 60 mil beneficiários desde o lançamento desta edição em outubro do último ano.