Gasto com cerveja fora do lar no verão é 60% maior

cerveja
No Nordeste, local de temperaturas mais altas e destino comum nas férias, o consumo de cerveja out of home cresceu 48% no último verão Foto: Freepik

Sinônimo de descontração, bem-estar, a cerveja é a cara do verão. E durante esse período, o brasileiro gasta 60% a mais com o consumo do produto fora do lar. 

Na hora de acompanhar as refeições ou apenas se refrescar, cada vez mais o consumidor tem aberto espaço no orçamento para as bebidas.

Esta cesta, inclusive, fez um caminho inverso aos gastos com bens de consumo massivo, nos últimos quatro anos. Os itens vendidos a baixo custo e relativamente rápido, chamados de FMGC) incluem produtos não duráveis, como produtos de higiene pessoal, medicamentos de venda livre e alimentos embalados.

De 2016 até 2019, esses gastos médios mensais com

cerva

FMGC caíram de R$ 972 para R$ 933, enquanto as despesas das famílias com bebidas por mês saltaram de R$ 78 para R$ 86, de acordo com a Kantar, líder global em dados, insights e consultoria.

Em casa x fora

Dentro do lar a campeã é a água mineral, enquanto fora do lar é a cerveja que lidera a lista, especialmente no verão, época em que o brasileiro gasta 60% mais com o consumo da bebida alcóolica out of home. Seja em bares, restaurantes ou blocos de Carnaval, o valor desembolsado é, em média, de R$ 11,62 em cada ocasião de compra, enquanto dentro do lar o tíquete médio é de R$ 6,76 por oportunidade.

No verão passado, período que vai de outubro de 2018 a março de 2019, o volume de cerveja consumido fora do lar no Brasil cresceu 14,2% em relação à mesma estação do período anterior. Em comparação com o inverno de 2018 foram 2,7 milhões de novos lares comprando a bebida ao menos uma vez. Ao todo, 56,5% das famílias incluíram cerveja nos carrinhos nos meses mais quentes do ano, especialmente os segmentos premium e puro malte.

Nordeste

Esta variação é ainda maior se compararmos as regiões do País. No Nordeste, local de temperaturas mais altas e destino comum nas férias, o consumo out of home cresceu 48% no último verão. Já no Rio de Janeiro, houve aumento de 22% e, em São Paulo, de 17%. A principal motivação para o consumo de cerveja na rua nesta época é “apreciar o sabor”. Entre os consumidores, 65% o fazem no horário de almoço nos fins de semana, 36% acompanhados dos amigos, 59% são homens e 41% mulheres.

Prazer

Já quando o consumo é feito dentro de casa, o brasileiro tem outro comportamento e racionaliza mais a compra. "Além de gastar menos, a principal motivação é o prazer. A classe AB1 foi a que mais consumiu cerveja in home no ano passado e a versão long neck (330ml) foi a mais pedida", analisa Giovanna Fischer, Diretora de Marketing e Consumer Insights da Kantar.

Para o consumo dentro de casa, no último verão o atacarejo e o supermercado convencional foram os canais que mais cresceram. Já para consumo na rua, os vendedores ambulantes se destacaram, conquistando 1,5 ponto de penetração, ou seja, 800 mil novas pessoas.

Pesquisa

A Kantar é líder global em dados, insights e consultoria. Atua em mais de 90 mercados e é uma empresa que se especializou em entender como as pessoas pensam, sentem, compram, compartilham, escolhem e veem.