Emprego formal deve ter alta de 13% no Ceará em 2020

trampo
Os serviços lideraram o crescimento de vagas no mercado de trabalho cearense em 2019, confirmando a vocação do Estado neste setor Foto: Freepik

Para o Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), a expectativa é que sejam colocados em torno de 13% de trabalhadores a mais no mercado de trabalho, em comparação com o resultado conquistado pelo órgão em 2019, quando houve a inserção de aproximadamente 41 mil.

Em 2019, por meio do IDT/Sine foram ofertadas 58.500 vagas de emprego, principalmente pelas empresas de grande porte (63%), nos setores de serviços, indústria e comércio

Os bons frutos do fim de ano de 2019, com a ampliação das vagas temporárias e a perspectiva de crescimento da economia cearense, devem aquecer o mercado de trabalho neste 2020, projeta o órgão.

Performance em 2019

Em 2019, os setores que conquistaram uma melhor performance foram os de serviços (33,13%), indústria (28,35%) e comércio (16,19%). A maior parte dos trabalhadores inseridos foi em ocupações como alimentador de linha de produção, assistente administrativo, sapateiro (calçados sob medida), vendedor de comércio varejista, agente de segurança, atendente de lojas e mercados, operador de caixa, auxiliar de escritório em geral e garçom, dentre outras.

Reação gradual

“Estamos percebendo que, com a retomada gradual do crescimento da economia, o mercado de trabalho tem ampliado o número de vagas e possibilitado uma maior inserção dos trabalhadores. Para quem busca uma oportunidade, é hora de investir em seu currículo, para atender à demanda das empresas”, analisa o presidente do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), Gilvan Mendes.

Destaca-se ainda que 64% do total de trabalhadores era do sexo masculino. Quanto à faixa etária, 38% estavam com idade entre 18 a 24 anos e 26% com 30 a 39 anos. Além disso, a maior parte dos trabalhadores que conquistaram uma oportunidade (59,88%) possuía o ensino médio completo.

Oferta

Em 2019, por meio do IDT/SINE foram ofertadas 58.500 vagas de emprego, principalmente pelas empresas de grande porte (63%), nos setores de serviços, indústria e comércio. “Em sua maioria, as vagas foram abertas exigindo apenas o ensino médio completo, mas é importante que o trabalhador esteja atento aos cursos complementares ou técnicos, que também são solicitados pelas empresas, dependendo da ocupação”, analisa o diretor da Promoção do Trabalho, Francisco das Chagas Nascimento.

O diretor alerta ainda aos profissionais que buscam uma vaga a importância dos aspectos comportamentais. “Na hora da entrevista de emprego, são observados comportamentos como a capacidade de trabalhar em equipe, iniciativa, boa comunicação e organização. Dessa forma, é importante que o trabalhador invista não apenas no seu currículo técnico, mas nas suas habilidades emocionais”, acrescenta Nascimento.