Comércio do CE se expande 4,3% e fica acima da média do País

comercio
Em novembro de 2019, o volume de vendas do comércio varejista cearense avançou 1,1%, frente ao mês imediatamente anterior, a quinta taxa positiva consecutiva Foto: Regina Carvalho

O volume de vendas do comércio varejista ampliado no Ceará, que inclui automóveis e material de construção, cresceu 4,3% em novembro de 2019, em relação a igual período do ano anterior. A expansão se situou acima da média do País, que marcou 3,8%. O desempenho foi registrado pela Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nesta quarta-feira (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

O indicador acumulado nos últimos 12 meses, passou de um aumento de 3% em outubro para 3,1% em novembro, apontando estagnação no ritmo de vendas. Considerando apenas novembro de 2019, o volume de vendas do comércio varejista cearense avançou 1,1%, frente ao mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, quinta taxa positiva consecutiva.

O comércio varejista avançou 0,8% em novembro de 2019 frente a igual mês do ano anterior, segundo mês seguido com variação positiva. O indicador acumulado nos últimos doze meses, ao passar de uma queda de -0,8% em outubro para -1% em novembro, sinalizou perda de ritmo nas vendas.

Em relação ao mês anterior, ou seja, na passagem de outubro para novembro, o Brasil manteve o dinamismo nas vendas expresso pelo avanço de 0,6%. A pesquisa de vendas do comércio varejista inclui as vendas de veículos, motos, peças e material de construção.

A pesquisa do IBGE mostra que as vendas subiram em 23 dos 27 Estados da Federação com destaque para Amapá (25,7%), Roraima (14,2%) e Santa Catarina (12,3%). Na sequência, em 10º lugar, o Ceará (4,3%) aparece acima do Espírito Santo (4,2%), Bahia (4,1%), São Paulo (4,0%) e outros 14 Estados. Por outro lado, quatro Estados tiveram queda: Piauí (-4,3%), Sergipe (-2,8%), Maranhão (-2,2%) e Rondônia (-1,3%).

Indústria

A produção industrial do Ceará apresentou em novembro de 2019 variação positiva de 3,4% em relação ao mês anterior. Foi o segundo maior crescimento do País, atrás apenas do Rio de Janeiro que atingiu 3,7%. Na comparação com o mesmo período de 2018, a indústria no Ceará mostrou crescimento de 3% em novembro de 2019. O destaque foi para o crescimento da fabricação de produtos químicos (38,6%) e fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (35,4%).

Os números são da Pesquisa Industrial Mensal divulgada na terça-feira (14), também pelo IBGE. No acumulado do ano para o período janeiro a novembro de 2019, a indústria cearense apresentou crescimento de 1,4%. A maior influência positiva foi da fabricação de produtos de metal (117%).

No Brasil, a produção industrial recuou em 11 dos 15 locais pesquisados pelo IBGE, na passagem de outubro para novembro de 2019. As maiores quedas foram no Paraná (-8,0%), Espírito Santo (-4,9%), e em Pernambuco (-4,1%), interrompendo três meses consecutivos de crescimento na produção, período em que acumulou expansão de 4,4%. Seguindo a sequencia estão Bahia (-3,5%), Minas Gerais (-3,4%), São Paulo (-2,6%), Goiás (-2,1%), Pará (-1,8%) e Rio Grande do Sul (-1,5%), que também alcançaram recuos mais intensos do que a média nacional (-1,2%).

Turismo

O índice de atividades turísticas no Ceará apontou crescimento de 2,6% em relação a outubro, o principal resultado positivo do Brasil. Oito estados tiveram queda no setor, com destaque para os recuos vindos de Rio de Janeiro (-4,0%), São Paulo (-1,1%) e Pernambuco (-7,0%).

Na comparação com novembro de 2018, o índice de volume de atividades turísticas no apresentou expansão de 3,5%. No indicador acumulado de janeiro a novembro de 2019, o agregado especial de atividades turísticas mostrou crescimento de 5,4% frente a igual período do ano passado.