CEO da CSP fala de transformação social e prevê ano melhor

aje
Jovens empresários de Fortaleza recepcionaram Cláudio Bastos, CEO da siderúrgica cearense, que compartilhou sua trajetória e experiência Foto: Regina Carvalho

O papel da liderança empresarial também é de transformação da realidade social do País e de um novo olhar sobre os negócios. Integrantes da Associação dos Jovens Empresários (AJE) compartilharam da experiência do CEO da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), Cláudio Bastos, e de sua perspectiva sobre gestão das empresas.

O encontro, pautado pela trajetória de Bastos, foi o primeiro almoço empresarial de 2020 realizado pela entidade na Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), nesta quarta-feira, 8 de janeiro, e liderado pelo coordenador eleito da AJE, Valdemir Alves.

Economia

ajee
Danilo Lobo (AJE), Cláudio Bastos, CEO da CSP, Valdemir Alves, coordenador geral eleito da AJE, e Ricardo Parente, gerente geral e Relações Institucionais da siderúrgica cearense Foto: Regina Carvalho

Cláudio Bastos considera que temos as melhores condições dos últimos 50 anos de dar uma decolada no Brasil, disse, ao comentar o cenário macroeconômico e as expectativas para o País no ano que se inicia. Segundo avalia o CEO da siderúrgica cearense, em 2020 o que vai puxar o crescimento do País é o mercado interno.

A tendência, aponta, é que o mercado imobiliário dê uma melhorada boa, prevê o executivo. "Com a redução dos juros todo produto de consumo de bens duráveis e imóveis tende a se beneficiar e isso deve puxar a economia", diz.

O CEO da CSP avalia que Temer iniciou mudanças importantes e Bolsonaro acelerou um pouco mais o processo. Ressalta o ganho com a Reforma da Previdência e destaca a diferença do Brasil de hoje e de 30, 40 anos atrás, apesar de ainda haver uma dívida interna muito elevada no País e que precisa ser resolvida e também a necessidade de diminuir o peso do estado.

Privilégios

Para o executivo, um dos papéis importantes do empresário brasileiro é um trabalho na busca da redução dos privilégios. “Os privilégios têm que ser enfrentados porque eles consomem a unidade da sociedade. As coisas têm que ser justas”, enfatizou.

Outro recado de Cláudio Bastos é que a elite social, que inclui o empresariado, precisa se engajar na transformação da sociedade. “Se vocês não fizerem, os políticos mal intencionados vão fazer da forma deles”, assevera.

Ação

“Faça seu negócio com ética e cobre que outros façam também”, propõe Cláudio Bastos ao empresariado. Ele também lembra o papel fundamental e transformador das empresas na inclusão e capacitação de trabalhadores e fornecedores locais. Sugeriu ainda a institucionalização de um canal entre a CSP e a Fiec para realização de negócios com empresas que se habilitem, como as geridas pelo jovens empresários.

Ceará

Sobre a gestão política no Estado, Cláudio Bastos entende que o Ceará “felizmente” passa por um período de boas gestões, com políticos que conseguem construir consensos e dar continuidade a compromissos, sem interromper o que foi realizado de bom. Lembra que a CSP passou por vários governos e recebeu apoio de todos. “É preciso fazer uma sociedade com propósito. Hoje o cearense tem um propósito. Repetir o que o Ceará fez nos últimos 30 anos vai ser difícil para outros estados”, destaca.